As gigantes tecnológicas norte-americanas Google e Apple anunciaram, na sexta-feira, uma parceria para desenvolver um software que permita o rastreamento digital de pessoas que estiveram perto de outras infetadas pelo novo coronavírus, para limitar a propagação da pandemia.

“A Google e a Apple anunciaram um esforço conjunto que vai permitir a utilização da tecnologia Bluetooth para ajudar governos e agências de saúde a reduzir a propagação do novo coronavírus”, explicitam as duas empresas através de comunicado conjunto, citado pela agência France-Presse.

Ou seja, os smartphones com sistema operativo iOS, da Apple, ou Android, da Google, vão poder trocar informações através de Bluetooth para acompanhar os contactos entre pessoas e alertar os utilizadores se tiverem estado em contacto com alguém que está contagiado com a doença covid-19.

De acordo com ambas as gigantes tecnológicas, estas ferramentas deverão estar disponíveis a partir de maio e este software terá em conta o “respeito pela privacidade” e a segurança dos utilizadores. Os sistemas operativos da Google e da Apple são os mais utilizados em dispositivos móveis em todo o mundo.

Aplicações para ‘smartphones’ semelhantes já foram desenvolvidas por outras empresas que criam ‘software’ na China ou em Singapura.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 100 mil mortos. O número acumulado de infeções já passou o milhão e meio e vai nas 1.674.854. Os Estados Unidos são o país mais afetado em número de casos, com 466.299 infetados e 16.686 mortos.

A Europa é o continente com mais casos contabilizados (826.382) e com maior número de vítimas mortais (66.642). A Itália é o país com maior número de mortes (18.279), seguida dos Estados Unidos (16.686), da Espanha (15.843), da França (12.210) e do Reino Unido (7.978).

Em África, há registo de 630 mortos num universo de mais de 12.219 casos em 52 países.