A pandemia do novo coronavírus matou 123.920 pessoas e infetou quase dois milhões em todo o mundo desde dezembro, segundo um balanço da agência AFP, às 19h GMT de esta terça-feira, baseado em fontes oficiais dos países.

De acordo com os dados recolhidos pela agência noticiosa francesa, até às 19h GMT (20h em Lisboa), 1.961.950 casos de infeção foram oficialmente diagnosticados em 193 países e territórios desde o início da epidemia, em dezembro passado, na China.

A AFP alerta, contudo, que o número de casos diagnosticados reflete apenas uma fração do total real de infeções, já que um grande número de países está a testar apenas os casos que requerem tratamento hospitalar. Entre esses casos, pelo menos 413.800 são esta terça-feira considerados curados.

Desde a contagem feita às 19h GMT de segunda-feira, ocorreram 6.177 novas mortes e 72.433 novos casos em todo o mundo.

Os países com mais óbitos nas últimas 24 horas são os Estados Unidos, com 1.802 novas mortes, o Reino Unido (778) e a França (762).

Os Estados Unidos, que registaram sua primeira morte ligada ao coronavírus no final de fevereiro, são atualmente o país mais afetado em termos de número de mortes e casos, com 24.737 mortes para 592.743 casos. Pelo menos 44.364 pacientes foram declarados curados.

Depois dos Estados Unidos, os países mais afetados são Itália, com 21.067 mortes por 162.488 casos, a Espanha, com 18.056 (172.541 casos), a França, com 15.729 mortes (143.303 casos) e o Reino Unido, com 12.107 mortes (93.873 casos).

A China (sem os territórios de Hong Kong e de Macau), onde a epidemia começou no final de dezembro, contabilizou oficialmente um total de 82.249 casos (89 novos entre segunda-feira e esta terça-feira), incluindo 3.341 mortes (0 novas) e 77.738 curas.

A Europa totalizava, até às 19h GMT de esta terça-feira, 84.122 mortes, para 996.312 casos, os Estados Unidos e o Canadá 25.661 mortes (619.640 casos), a Ásia 5.162 mortes (145.541 casos) e o Médio Oriente 5.031 mortes (106.630 casos), a América Latina e Caribe 3.001 mortes (70.213 casos), África 865 mortes (15.969 casos) e a Oceânia 78 mortes (7.652 casos).

Esta avaliação foi realizada usando dados coletados pelos escritórios da AFP das autoridades nacionais competentes e informações da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Em Portugal, segundo o balanço feito esta terça-feira pela Direção-Geral da Saúde, registam-se 567 mortos, mais 32 do que na segunda-feira (+6,%), e 17.448 casos de infeção confirmados, o que representa um aumento de 514 (+3%).

Dos infetados, 1.227 estão internados, 218 dos quais em unidades de cuidados intensivos, e há 347 doentes que já recuperaram.

Portugal, onde os primeiros casos confirmados foram registados no dia 2 de março, encontra-se em estado de emergência desde de 19 de março e até ao final do dia 17 de abril.