Quando o croata Mate Rimac fundou a Rimac Automobili em 2009, com o objectivo de criar “o desportivo do século XXI”, poucos acreditavam no sucesso do empreendedor, para mais num país com pouca tradição na indústria automóvel. Mas Mate provou ser tão determinado quanto cheio de capacidade inventiva. Rapidamente surpreendeu o mercado não só com baterias que prometem grande eficiência, como com motores potentes e transmissões de duas velocidades.

O potencial tecnológico foi confirmado pelos concorrentes, pois a Aston Martin contratou a Rimac para lhe conceber o sistema KERS (similar ao que equipa os Fórmula 1 modernos) para o Valkyrie, enquanto a Koenigsegg adquiriu o sistema de baterias e gestão eléctrica para o Regera. E a própria Porsche comprou 10% da empresa croata para estar melhor posicionada no acesso às suas invenções, não deixando de ser curioso que o Taycan partilhe com os desportivos croatas a voltagem do sistema, a capacidade máxima de carga e a transmissão de duas velocidades.

O C_Two é o segundo modelo da Rimac e os seus 1914 cv, 0-100 km/h em 1,97 segundos e 412 km/h de velocidade máxima falam por si, bem como a bateria de 120 kWh que alimenta os motores, garantindo uma autonomia em WLTP de 550 km.

O construtor vai produzir apenas 150 unidades, com as primeiras a começarem a chegar aos clientes ainda este ano, por 2 milhões de dólares a unidade. A proximidade justifica os vídeos que Mate Rimac tem vindo a publicar (e a apresentar), o último dos quais tem como protagonista o piloto de ensaio da marca, Miroslav Zrncevic, revelando pormenores interessantes sobre o desenvolvimento do C_Two.