Numa altura em que o futuro da aviação está em suspenso, devido à pandemia, vão surgindo ideias sobre como contornar o contágio nos aviões. Em cima da mesa estão propostas tão diversas como a remoção dos bancos do meio, o uso obrigatório de máscaras e ainda cabines no aeroporto que permitam desinfeções de corpo inteiro.

Uma das ideias mais recentes, escreve a CNN Travel, é a PlanBay, do engenheiro aeronáutico francês Florian Barjot — trata-se de um kit removível de baixo custo, fácil de produzir e desenhado para a classe económica (o nome é uma brincadeira com o termo em inglês “Plan B”).

A ideia é relativamente simples: em causa está um painel de proteção que é colocado atrás dos assentos e outro painel entre os bancos, sendo que a estrutura está prevista ser aplicada no banco do meio (considerando, por exemplo, uma fila de três bancos). Desta forma, os passageiros junto à janela e ao corredor do avião conseguem manter a distância de segurança que tem sido recorrentemente recomendada por autoridades de saúde de diferentes países.

À CNN Travel, Florin Barjot afirma que a ideia de ter um kit removível faz sentido quando a necessidade das autoridades de saúde é temporária ou limitada a uma área geográfica. Na página do projeto é ainda explicado que apesar de os aviões modernos terem sistemas de ar eficientes, que previnem que uma pessoa contagie todas as outras, não há, por enquanto, forma de manter um metro de distância entre os passageiros.

Sobre a questão de bloquear o banco do meio, já a International Air Transport Association (IATA) veio dizer publicamente que não concorda com a ideia. Prefere, ao invés, o uso de máscaras.