Uma análise feita pelo grupo anti-corrupção “Mexicans Against Corruption” e divulgada esta terça-feira deu conta de que os registos de mortes no México sugerem que o novo coronavírus poderá ter estado na origem de 4.577 mortes no país no último mês, mais do triplo das mortes oficiais desde o início da pandemia, avançou a Associated Press. O governo federal afirma que existem apenas 1.322 mortes confirmadas devido à Covid-19 no México desde o início da pandemia.

A investigação revelou que entre 18 de março e 12 de maio o novo coronavírus aparece na base de dados como causa possível ou provável de 4.577 mortes. O grupo, que não explicou como é que teve acesso à base de dados do país, garante ainda que as contas oficiais, no entanto, apenas deram conta de 1.060 mortes associadas à Covid-19 durante este período de tempo.

Para as conclusões obtidas, o grupo incluiu todas as certidões com as palavras “suspeito”, “provável” ou “possível” associadas ao novo coronavírus, o que poderá explicar a diferença em relação às mortes contabilizadas pelas autoridades de saúde. Apenas 323 certidões confirmaram a Covid-19 como causa de morte, sendo que mais de mil mencionam o vírus, sem clarificar se se tratava de um caso suspeito ou confirmado. As restantes mortes tiveram também outras patologias associadas.

Esta terça-feira, o México registou mais 155 mortes e 2.414 casos confirmados, elevando o total para 5.332 mortes e 51.633 casos confirmados no país desde o início da pandemia.