O governo de Macau anunciou esta sexta-feira ter criado uma plataforma eletrónica para divulgar descontos e promoções de diversas empresas do território, em crise devido à pandemia da Covid-19.

A aplicação ‘Macau Ready Go’ “integra as promoções oferecidas pelas diferentes indústrias, empresas e lojas de Macau”, explicaram as autoridades, na conferência de imprensa sobre a Covid-19. Até ao momento, quase 400 empresas já estão inscritas na aplicação e as autoridades apelam a que mais empresas se juntem a esta aplicação.

A plataforma tem como objetivo, no futuro, abranger o mercado turístico, ou seja, os visitantes, mas para já será focado para a população local, já que ainda estão em vigor várias restrições fronteiriças e por isso o número de visitantes no território é muito reduzido.

Esta foi uma das medidas anunciadas pelas autoridades, cujos apoios anunciados à população e às empresas foram estimados em quase 13,7 mil milhões de patacas (1,6 mil milhões de euros), num momento em que o Governo está também a apostar no investimento público para revitalizar a economia.

Em fevereiro, Macau avançou com uma série de medidas de contenção da pandemia: enviou trabalhadores para casa, mandou encerrar os casinos durante pelo menos 15 dias, algo que levou à quase total paralisação da economia.

Num território de cerca de 30 quilómetros quadrados, Macau registou em 2018 mais de 35 milhões de turistas e quase 40 em 2019, mas este ano o número de visitantes diminuiu de um total de 2,85 milhões em janeiro, para 210 mil em março, registando uma descida superior a 90%.

Macau não regista novos casos da Covid-19 no território há 58 dias.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de Covid-19 já provocou mais de 387 mil mortos e infetou mais de 6,5 milhões de pessoas em 196 países e territórios. Mais de 2,8 milhões de doentes foram considerados curados.