2004. Felipe VI casava com a então jornalista Letizia Ortiz num casamento envolto em polémica por ela ser uma mulher divorciada. Com os olhos postos nos dois, a lua de mel que se seguiu ficou no segredo dos deuses. Ambos indentificaram-se como Sr. e Sra. Smith nos registos dos hotéis por onde passaram em vários países, ao longo de cerca de três meses. Mas agora que Felipe VI renunciou à herança do pai, o The Telegraph publica mais pormenores sobre esta viagem: custou nada mais do que 467 mil dólares, ou seja 415 mil euros (perto de meio milhão de euros) e foi paga praticamente a meias pelo rei emérito Juan Carlos I de Borbón e o seu amigo de infância e empresário catalão Josep Cusí.

A notícia pode envergonhar ainda mais Felipe, rei de Espanha desde 2014, que em março deste ano renunciou a qualquer futura herança a que tenha direito do rei emérito Juan Carlos. Em causa estavam supostas irregularidades financeiras e uma doação de 65 milhões de euros.

À data, a Casa Real espanhola publicou um comunicado onde informava que, para além de renunciar à sua herança, Felipe VI também ia retirar a Juan Carlos as ajudas de custo anuais que este recebia de quase 200 mil euros. A decisão foi tomada numa altura em que várias notícias davam conta de que Felipe VI era o beneficiário de uma empresa offshore, criada por Juan Carlos quando ainda era soberano, através de uma doação de 65 milhões de euros da Arábia Saudita.

A empresa Navilot, propriedade de Cusí, terá suportado despesas no valor de 269 mil dólares (quase 240 mil euros), avança aquele jornal, a quem o advogado do empresário garantiu que Cusí não tem conhecimento de ter pagado faturas dessa viagem. Aos 86 anos, Cusí é parceiro de vela do rei emérito desde os anos 1970 — juntos venceram dezenas de regatas, incluindo 12 títulos nacionais. A Casa Real espanhola, por sua vez, recusou comentar detalhes da lua de mel e de que forma é que foi paga.

Juan Carlos I debaixo de fogo após “doação” de 65 milhões de euros a amante e ao filho desta

Ainda segundo o jornal britânico, a lua de mel do agora rei de Espanha começou depois de o casal ter participado num casamento real na Jordânia. Após a cerimónia, Felipe e Letizia viajaram para o Camboja, passando pelas ilhas Fiji, por Samoa, Califórnia e México. Os detalhes da viagem que custou quase meio milhão de euros foram envoltos em segredo e mantidos longe da imprensa espanhola.

De acordo com os documentos a que o The Telegrah teve acesso, Felipe VI e Letizia usaram nomes falsos nas reservas efetuadas durante a lua de mel — escolheram identificar-se como “Sr. e Sra. Smith” — e ficaram num resort de luxo numa das ilhas Fiji cuja estadia de cinco noites, para eles e para o respetivo staff, chegou aos 33 mil dólares, cerca de 30 mil euros.

Rei de Espanha renuncia à herança do pai e retira-lhe a pensão