Um casal de advogados norte-americano foi visto a apontar armas de fogo a manifestantes do movimento Black Lives Matter que marchavam em St. Louis, Missouri, nos Estados Unidos, acusando-os de invadir propriedade privada, avançou na segunda-feira o USA Today.

O vídeo que circula nas redes sociais, já partilhado por Donald Trump no Twitter, mostra Mark McCloskey, 63 anos, e Patricia McCloskey, 61, a apontar armas (uma arma de fogo semi-automática e uma pistola) aos manifestantes. O casal alega que os ativistas fizeram “ameaças de morte”, gritaram “obscenidades” e partiram um portão de ferro na sua propriedade. Segundo o USA Today, Mark McCloskey disse à KMOV-TV que ele e a mulher estavam perante um “assalto violento” de pelo menos 100 pessoas e temiam pela vida.

O grupo de manifestantes marchava em direção à casa da autarca de St. Louis, Lyda Krewson, pedindo-lhe que se demitisse, depois de esta ter divulgado os nomes e moradas de vários cidadãos que pediram a paralisação do financiamento da polícia. A manifestação juntou pelo menos 500 pessoas.

Uma procuradora de St. Louis disse na segunda-feira que vai investigar o caso com a polícia. “Temos de proteger o direito de protestar pacificamente, e qualquer tentativa de o silenciar através de intimidação e ameaça de morte não será tolerada”, disse Kimberly Gardner, citada pelo USA Today.

O advogado do casal sublinhou que Mark e Patricia McCloskey são advogados que trabalham em casos sobre direitos humanos e garante que apoiam o movimento “Black Lives Matter” e os protestos pacíficos, dizendo que as ações do casal foram motivadas pelo “medo de danos iminentes”. “Não estão relacionadas com a raça”, acrescentou, dizendo que os manifestantes que o casal temia eram brancos.