O FBI (Federal Bureau of Investigation) abriu uma investigação ao que foi um dos maiores ataques informáticos a contas de personalidades nas redes sociais. Como avança o The Wall Street Journal, esta autoridade quer perceber como é que os hackers [piratas informáticos] conseguiram aceder na quarta-feira a conta de pessoas como Barack Obama, Joe Biden, Bill Gates, Elon Musk, Kanye West, e empresas como a Apple e a Uber.

De acordo com o mesmo jornal, o FBI está preocupado que este ataque coordenado tenha exposto vulnerabilidades cruciais do Twitter. Ao The Verge, a rede social afirma que está a trabalhar com esta autoridade e vai dar total proteção. Apesar de contas como a do antigo Presidente dos EUA, Barack Obama, e do atual candidato democrata à Casa Branca, Joe Bide, terem sido comprometidas, o Twitter de Donald Trump, o atual Presidente dos EUA, não foi hackeado. Porém, não se sabe se a conta de Trump pode gozar de proteções extra, refere o mesmo jornal.

Contas de Twitter de várias personalidades, incluindo Barack Obama, Joe Biden, Bill Gates e Elon Musk, alvo de ataque informático

Contudo, este ataque teve que objetivo? De acordo com o FBI: “De momento, as contas parecem ter sido comprometidas para perpetuar a fraude de criptomoedas”. Ao todo, acredita-se que estes piratas informáticos tenham recebido cerca de 121 mil dólares (arredondadamente 105,7 mil euros), revela um análise divulgada pela CNBC.

Para isto tudo pode ter sido apenas necessário ter acesso a um funcionário do Twitter que pode ser um dos responsáveis por este ataque, revelou o Motherboard, como noticia o Vice. O Twitter também contempla esta possibilidade, apesar de não a confirmar oficialmente. De acordo com o Vice, os piratas informáticos terão conseguido subornar funcionários para aceder a ferramentas críticas da rede social.

[No tweet abaixo, um utilizador mostra a mensagem que surgiu nas contas pirateadas. Os hackers queriam receber mil dólares em Bitcoins e prometiam dar de volta dois mil]

“Toda a gente me pede para dar de volta, e chegou a altura. Estou a duplicar todos os pagamentos enviados para o meu endereço de BTC nos próximos 30 minutos. Se enviar mil dólares, eu envio 2 mil dólares de volta”, lia-se em várias mensagens na contas afetadas.

O Governador do Nova Iorque, Andrew Cuomo, também já anunciou que o Departamento de Serviços Financeiros deste Estado também está a investigar este ataque. Num comunicado, como avançado pelo Business Insider, o político referiu: “A interferência estrangeira continua a ser uma grave ameaça à nossa democracia e Nova Yorque continuará a liderar a luta para proteger a nossa democracia e a integridade das nossas eleições da maneira que pudermos”. Além deste departamento, Letitia James, a procuradora-geral deste Nova Iorque, abriu uma investigação.

O ataque de quarta-feira ao Twitter suscita sérias preocupações sobre segurança de dados e como plataformas como o Twitter podem ser usadas para prejudicar o debate público. Ordenei ao meu escritório que iniciasse uma investigação imediata sobre esse assunto”, disse Letitia James.

Desde quarta-feira que vários políticos norte-americanos têm pedido ao Twitter mais informações sobre o ataque. A rede social liderada por Jack Dorsey afirmou logo na noite em que decorreu esta falha que estava a investigar o problema. A rede social afirmou, contudo, que as palavras-passe não tinham sido comprometidas.

Ao todo, este ataque durou cerca de duas horas. Para mitigar os efeitos deste problema de cibersegurança, o Twitter chegou a desabilitar várias contas verificadas até ter garantias de que tem a situação controlada. Esse acesso ainda não foi totalmente recuperado para alguns utilizadores, mas a rede social diz que o quer fazer “o mais depressa possível”: