A China juntou-se ao seleto grupo de países com missões espaciais enviadas a Marte, depois de ter lançado com sucesso a sonda Tianwen-1 esta quinta-feira. Esta é a primeira vez que o gigante asiático desenvolve sozinho, e com sucesso, uma missão deste tipo.

O lançamento da sonda Tianwen-1 (que significa “Perguntas ao Céu” e remete para um poema do século III a.C.) aconteceu durante a madrugada desta quinta-feira e prevê-se que apenas em fevereiro de 2021 consiga aterrar em Marte.

De acordo com um artigo escrito na revista Nature por quatro dos cientistas envolvidos no desenvolvimento desta missão, depois de aterrar em Marte a sonda Tianwen-1 terá autonomia para funcionar durante 90 dias marcianos — ou seja, um período mais longo do que uma igual quantidade de dias terrestres.

A sonda Tianwen-1 (que foi lançada pelo foguetão, Longa Marcha-5, cujo nome homenageia um dos movimentos militares basilares de Mao Tsé-Tung) leva a bordo um satélite, além de um veículo espacial equipado com câmaras (uma de média-resolução e outra HD), tal como detetores de partículas e matéria energética, entre outros.

“A principal tarefa do Tianwen-1 é desenvolver um reconhecimento global e extenso de todo o planeta utilizando o satélite, enviando o veículo espacial para explorar locais de interesse científico onde possa desenvolver investigações pormenorizadas com grande eficácia e resolução”, escrevem os cientistas W. X. Wan, C. Wang, C. L. Li e Y. Wei.

O lançamento de uma missão a Marte tem sido parte do leque de ambições a cumprir por parte da China. A primeira tentativa aconteceu em 2011, numa parceria com a Rússia. Porém, dessa vez, o lançamento não teve sucesso e o foguetão (que levava a bordo um satélite chinês e um veículo espacial russo) acabou por se despenhar.

A primeira missão a conseguir aterrar com sucesso em março foi da responsabilidade da União Soviética. Aconteceu a 28 de maio de 1971, mas foi um relativo sucesso — isto porque, depois da transmissão de uma imagem apenas parcial, o contacto com a sonda foi perdido em 14 segundos e meio. Depois dessa missão, os EUA conseguiram que a sua primeira sonda aterrasse em Marte a 20 de agosto de 1975.

Este domingo, os Emirados Árabes Unidos enviaram a sua primeira missão a Marte, sendo que esta, se conseguir chegar ao destino, será composta apenas por um satélite. Desta forma, se a missão chinesa tiver sucesso, a China será o terceiro país do mundo a conseguir colocar um veículo espacial em solo marciano.

Líderes da missão dos Emirados a Marte: “Se me dissessem há 7 anos que estaríamos ao lado da China e EUA não acreditaria”