No dia 16 de março, duas semanas depois de terem sido detetados os primeiros casos de Covid-19 em Portugal, registava-se a primeira morte: foi Mário Veríssimo, 81 anos, um antigo enfermeiro-massagista do Estrela da Amadora que era amigo de Jorge Jesus. Depois, somaram-se mortes por Covid-19 todos os dias em Portugal.

Esta segunda-feira, pela primeira vez desde esse dia, o boletim divulgado pela Direção-Geral da Saúde manteve o número de mortes inalterado desde o dia anterior: no total, morreram 1.738 pessoas vítimas da Covid-19 no país, mas nas últimas 24 horas não se registou nenhuma morte.

Pela primeira vez não há nenhuma morte desde 16 de março por Covid-19. Há 106 novos casos

Desde o início da pandemia, foram diagnosticados em Portugal 51.569 casos de Covid-19, num universo de 446.342 casos suspeitos que foram testados. São mais 106 casos relativamente a domingo. Destas, 37.111 pessoas já recuperaram da doença (são mais 127 relativamente a domingo), o que significa que existem ainda 12.720 casos de infeção ativos em Portugal. São menos 21 casos ativos relativamente a domingo.

A esmagadora maioria encontra-se a recuperar em casa: só 390 pessoas (3%) do total de casos ativos se encontram internadas no hospital, 42 delas em cuidados intensivos.

No que toca à distribuição geográfica da evolução da pandemia em Portugal, a maioria dos casos continuam a verificar-se na região de Lisboa e Vale do Tejo, mas consolida-se uma tendência de diminuição do peso da região no total de novos casos diários — depois de, no início do verão, a região ter representado mais de 90% dos novos casos.

Covid-19. Lisboa e Vale do Tejo com 60% dos novos casos este domingo

Esta segunda-feira, a região de Lisboa e Vale do Tejo registou 66 dos 106 novos casos de Covid-19 — ou seja, 62% do total. Destacam-se também a região Norte com 17 casos (16%) e região Centro com 10 casos (9,4%), seguindo-se o Algarve e a Madeira com 5 casos (4,7%) cada uma, o Alentejo com 2 casos e os Açores com um caso.

Embora a doença esteja a infetar sobretudo as faixas etárias intermédias — entre os 20 e os 60 anos de idade —, a grande maioria dos óbitos (86%) ocorreram em pessoas com mais de 70 anos.

Por ser segunda-feira, a Direção-Geral da Saúde atualizou também os números relativos aos concelhos. Aquele que, ao longo da última semana, mais casos registou foi o de Lisboa, com 154 novos casos. Segue-se Sintra com 135 novos casos, a Amadora com 77 novos casos, Loures com 74, e Odivelas com 61 — precisamente os cinco concelhos que tiveram freguesias em estado de calamidade até ao fim de julho.

Destacam-se ainda outros concelhos da área metropolitana da capital, como Cascais (59 novos casos), Oeiras (31), Almada (25), Seixal (23), Mafra (27) ou Vila Franca de Xira (29).