Graça Freitas atribuiu o aumento de novos casos de Covid-19 em Portugal à subida do número de infeções na maioria dos países europeus e à maior movimentação de pessoas durante este mês de agosto. Admitindo que ainda é “precoce” para “conseguir explicar tudo”, a diretora-Geral da Saúde considerou serem estas “as explicações” possíveis “para este aumento de casos, que não tem sido exponencial”. Esta sexta-feira, foram confirmados 401 novos casos, mais 17 do que no dia anterior.

“Há de facto um clima que é favorável para que isso possa acontecer. Como todos sabemos, e faz parte da dinâmica da infeção, há um aumento da atividade deste vírus e do número de casos em toda a Europa”, começou por explicar Graça Freitas durante a conferência de imprensa desta sexta-feira sobra a situação epidemiológica em Portugal.

“Estamos a tentar um equilíbrio entre medidas de segurança de saúde pública e medidas de retoma da vida normal das pessoas.” De acordo com a diretora-Geral da Saúde, “isso leva a uma maior movimentação de pessoas, do nosso país para outros, de outros para o nosso, de turistas e de emigrantes. Um maior contacto de pessoas por lugares afetados pela epidemia pode gerar aumento de número de casos”.

Graça Freitas apontou que a maioria dos novos casos não têm sido casos isolados e que têm estado relacionados com surtos, que são “muitas vezes familiares, em instituições e em empresas”. A responsável lembrou ainda que, uma vez que não existe ainda uma cura para a Covid-19, nunca teremos “casos zero”. “Vamos ter aumentos e diminuições consoante a dinâmica [da pandemia]. Temos de manter a situação controlada para mantermos o equilíbrio”, afirmou.

DGS está a “revisitar” orientações relativas ao uso de máscara em locais fechados e abertos

Graça Freitas não confirmou que a Direção-Geral da Saúde (DGS) está a ponderar implementar o uso obrigatório de máscara em todos os locais públicos, à semelhança do que aconteceu esta semana em Paris, lembrando que o organismo tem vindo a recomendar a sua utilização e que se tem procurado que as medidas sejam proporcionais ao risco.

Questionada sobre a medida adotada pelos parisenses durante a conferência desta sexta-feira, a diretora-Geral da Saúde adiantou que a DGS está a “revisitar” as orientações relativas ao uso de máscara em “três aspetos” que lhe parecem ser “fundamentais”. Um deles tem a ver com a  nova orientação da Organização Mundial de Saúde (OMS) sobre o uso de máscaras por crianças a partir dos seis anos, que está neste momento a ser estudada, e o outro precisamente sobre a sua utilização em espaços públicos.

“Há espaços púbicos que são frequentados por várias pessoas em simultâneo que poderão ter um tratamento diferente de um espaço público aberto e não frequentado”, afirmou a diretora-Geral da Saúde, apelando ao “bom senso”: “Uma rua movimentada é diferente de passear o cão às dez da noite”.

O terceiro aspeto que a DGS está a ter em conta tem a ver com “estudos sobre eficácia de certas máscaras”, em relação aos quais poderá sair “informação”, para que os portugueses façam uma escola e utilização “informada” das diferentes máscaras disponíveis no mercado, disse a mesma responsável.

Plano para este inverno está a ser “estruturado e alavancado” e será anunciado em breve

O Ministério da Saúde está, em conjunto com as entidades competentes, a concluir o plano de combate e prevenção para este inverno. Jamila Madeira, secretária de Estado Adjunta da Saúde, garantiu que este está neste momento a ser “a ser estruturado e alavancado no sentido de o mais oportunamente possível ser apresentado”. A governante admitiu que ainda não existe uma data para a sua apresentação, mas disse esperar que isso seja aconteça em breve, “nos próximos dias”.

Há 60 lares com casos positivos e 523 utentes infetados com Covid-19

Os casos de Covid-19 em lares são agora inferiores a 800 e afetam 60 estruturas residenciais para idosos, o que corresponde a 2,4% do total, adiantou a secretária de Estado Adjunta da Saúde no arranque da conferência de imprensa. O número de utentes infetados é 523, e há 244 trabalhadores com o novo coronavírus.

Jamila Madeira revelou ainda que, até ao momento, 4.401 profissionais de saúde contraíram a Covid-19, 821 dos quais já se encontram recuperados. Em agosto, foram realizados por média 13.714 testes em Portugal.

A secretária de Estado Adjunta apelou a que a população não descure a segurança “em nenhum momento”. “Como a DGS costuma dizer, e nós sabemos, o vírus não vai de férias e em todo o momento temos de aplicar as medidas de segurança.”