O plano original dos ataques do 11 de Setembro, que vitimaram 2.996 pessoas, incluindo 19 terroristas, em 2001, previa o desvio de dez aviões comerciais e não de quatro.

Khalid Shaikh Mohammed, o terrorista responsável por planear o atentado nos Estados Unidos da América, queria utilizar nove aeronaves que se despenhariam contra diferentes edifícios em vários pontos do país. O décimo avião seria conduzido pelo próprio Khalid contra um aeroporto, “depois de matar todos os homens a bordo” e de difundir um discurso pelos meios de comunicação em que “criticava o apoio dos Estados Unidos a Israel, as Filipinas e aos governos repressivos no mundo árabe”.

Foi o próprio Khalid Shaikh Mohammed que revelou este “grandioso plano original”, quando foi interrogado pelo FBI, após os atentados, conta o jornal espanhol ABC. Oriundo de uma família paquistanesa, Khalid Sheik cresceu no Kuwait e passou vários anos nos Estados Unidos, para onde se mudou para estudar engenharia mecânica numa universidade da Carolina do Norte. Concluiu o curso em 1986.

Depois de uma viagem ao Paquistão, decidiu entrar para a jihad e juntar-se à luta contra os soviéticos no Afeganistão. Foi neste país que conheceu Osama Bin Laden, em 1987. A este primeiro encontro seguiram-se vários outros nos anos seguintes. Num destes, em que esteve também presente o chefe de operações de Bin Laden, Abu Mohamed al Masri, Khalid Sheik terá apresentado vários projetos de atentados. Um deles incluiria já a ideia de treinar pilotos para desviarem aviões comerciais que depois despenhariam contra vários edifícios norte-americanos, como o World Trade Center ou a sede da CIA.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Bin Laden terá convidado Khalid Sheik a juntar-se à Al-Qaeda, mas o engenheiro paquistanês terá inicialmente recusado. Terá sido só em princípios de 1999, quando os ataques de 11 de Setembro começaram a ser planeados, que Khalid terá entrado para a organização terrorista, refere o ABC.

A lista inicial de alvos incluía, além do World Trade Center e do Pentágono, edifícios contra os quais os quatro aviões desviados a 11 de setembro de 2011 colidiram, o Capitólio e a Casa Branca. Os terroristas estavam especialmente interessados neste último e na sede do Departamento de Defesa, ambos em Washington.

Khalid Shaikh Mohammed foi capturado pelas forças norte-americanas na localidade de Rawalpindi, no Paquistão, em março de 2003, durante uma operação que contou com a colaboração dos serviços secretos paquistaneses. Passou três anos em diferentes prisões secretas, até que foi levado para Guantánamo, onde, em 2006, confessou ter sido o responsável pelo plano dos atentados do 11 de Setembro, cujo 19.º aniversário se assinalou esta sexta-feira. O terrorista, e outros quatro homens, começarão a ser julgados em janeiro de 2021.