Três funcionárias afetas ao ensino pré-escolar na Santa Casa da Misericórdia de Ovar estão infetadas com Covid-19, revelou esta quarta-feira essa instituição do distrito de Aveiro, após enviar para quarentena três turmas, num universo de cerca de 40 crianças.

Segundo disse à Lusa o provedor da Misericórdia, todo o pessoal da instituição tem sido sujeito a testes para deteção do vírus SARS-CoV-2 “uma vez por mês – ainda antes de o Governo ter decidido que, a partir de outubro, isso seria obrigatório em todos os lares” e foi num desses rastreios, abrangendo o pessoal de todos os serviços de infância, que se diagnosticaram três novos casos de doença.

“Os testes deram positivo para três funcionárias que estavam sem sintomas e isso obrigou-nos a fechar três salas com creche e jardim de infância”, afirmou Álvaro Silva, adiantando que isso envolve “umas 40 crianças”.

A duração da quarentena “vai ser decidida pela autoridade local de saúde, consoante as circunstâncias de cada pessoa mantida sob vigilância” e, entretanto continuam em funcionamento as restantes salas do ensino pré-escolar geridas pela casa, o que representa “outros 120 a 130 miúdos”.

Álvaro Silva nota que a situação na Santa Casa “não é diferente da que se vive no concelho de Ovar e no resto do país, onde os casos de infeção estão a aumentar diariamente”.

O responsável refere que a situação está “tranquila” nas duas estruturas residenciais para idosos, que, também geridas pela instituição, foram especialmente afetadas pelo vírus SARS-Cov-2 nos meses de março e abril.

Já começámos a dar aos idosos a vacina contra a gripe. Vai ser uma confusão na mesma quando os casos de gripe se confundirem com os de Covid-19, mas, ao menos este ano, o Governo prometeu que mandava as vacinas gripais até final de setembro e cumpriu”, realça o provedor.