O protesto marcado para esta terça-feira pelos lesados emigrantes do BES (Banco Espírito Santo), em frente ao Palácio de São Bento, foi adiado devido à passagem da depressão Bárbara. “Seria mais prudente adiar o protesto por causa do mau tempo”, anunciou a Associação de Defesa dos Clientes Bancários ouvida pelo Expresso.

Os manifestantes já marcaram uma nova data para protestarem: dia 27 de outubro, próxima terça-feira. Na origem dos protestos em frente à residência oficial do primeiro-ministro, estará o atraso do Governo em relação à criação de um fundo de recuperação parecido ao dos lesados do papel comercial do GES/BES — que já receberam indemnização.

Os emigrantes do BES, que aplicaram 400 milhões de euros no BES, garantiram ao Expresso que já entregaram “toda a documentação necessária” para a criação de um fundo de recuperação junto da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), que tem de proceder ao registo do fundo.

Os emigrantes pressionam agora o Governo para que viabilize o fundo, que ronda os 300 milhões de euros, e esperam que seja aprovado até ao final do ano. A proposta divulgada pelo Expresso almeja a recuperação de 75% dos valores aplicados até aos 500 mil euros, com um teto máximo de 250€ mil euros, e de 50% acima desse montante.

A depressão Bárbara já fez mais de 600 ocorrências por todo o país, indica a Proteção Civil.