A noite de Halloween no centro histórico de Quebeque, no Canadá, transformou-se numa verdadeira caça ao homem para a polícia. Um homem vestido de negro, cabelo claro, e de espada fez duas mortes e três feridos em apenas três horas. Depois de a polícia ter bloqueado a zona e alertado a todos os moradores para se manterem em casa, acabou por apanhar o agressor deitado no chão, descalço, ao lado da arma usada no crime. Não ofereceu qualquer resistência à detenção. A polícia acredita que agiu por motivações pessoais, afastando a hipótese de terrorismo.

Os primeiros contactos para a polícia foram feitos às 22h28. Quem o viu descreveu-o como um homem de cabelo castanho claro, vestido de negro com roupas medievais e uma espada.Uma verdadeira “personagem medieval”, como descreve a comunicação social. Tinha acabado de atacar uma vítima, espetando-lhe a espada no peito, na zona de Château Frontenac, perto do parlamento. A vítima foi encontrada a esvair-se em sangue e não resistiu.

O carro do suspeito foi encontrado ali próximo, ainda com o motor ligado de como quem tinha saído à pressa e queria sair do local mais rapidamente ainda. No interior do carro estava o coldre da espada e foram também encontradas várias latas de gasolina. Há testemunhas que o viram a correr com a espada nas mãos.

Depois de identificar o dono do carro, a polícia ainda terá ido à sua casa, ao mesmo tempo que lançava apelos para que todos permanecessem fechados em casa. Ao mesmo tempo o suspeito prosseguia o seu plano, que segundo fontes policiais contactadas pelo Le Soleil, foi traçado há já um ano e meio.

Num percurso pelo centro histórico que fez, depois, a pé, fez mais vítimas. A polícia conta mais quatro, uma delas atingida de forma semelhante à primeira vítima mortal. Também esta acabou por morrer.

Só perto da 1h00 o suspeito acabou por ser localizado por um polícia de serviço que estranhou ver um homem deitado no chão. Quando apontou a luz para ele percebeu que tinha uma espada ao seu lado. Terá sido a arma do crime. O homem estava vestido de negro, de máscara e não ofereceu qualquer resistência à detenção. Foi levado para o hospital para ser avaliado.

A polícia apela a todos que tenham mais conhecimento do caso e do suspeito para contactarem a polícia.