O Governo chinês defendeu esta quarta-feira os controlos anti-coronavírus de produtos importados que interromperam as importações de carne bovina, aves ou peixes oriundos do Brasil, Estados Unidos e vários países europeus.

As autoridades alfandegárias afirmaram que vestígios do novo coronavírus foram encontrados em carne congelada e embalagens, incluindo vários casos envolvendo o Brasil, e impuseram suspensões temporárias aos fornecedores.

Isto gerou reclamações por parte dos parceiros comerciais da China.

As restrições são “razoáveis e justificáveis” e têm como objetivo proteger a saúde pública, disse o porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros, Zhao Lijian.

A China, onde a pandemia começou em dezembro, declarou vitória sobre a doença em março, após restritas medidas de prevenção, incluindo o isolamento de cidades inteiras.

Pequim está a tentar evitar que uma segunda vaga do vírus seja provocada por bens importados ou viajantes oriundos do exterior.

As medidas relevantes que a China adotou são necessárias no espírito de colocar a vida das pessoas em primeiro lugar e proteger a saúde das pessoas”.

Uma análise realizada a embalagens de carne bovina congelada importada do Brasil, em Taiyuan, cidade do noroeste da China, detetou o novo coronavírus, informou a Comissão de Saúde local.

Citadas pelo jornal Global Times, as autoridades da capital da província de Shanxi afirmaram que três lotes de carne bovina importada do Brasil testaram positivo para a Covid-19.

A cidade isolou e testou o pessoal que teve contacto com a carga, e desinfetou o local.

Também na semana passada, uma análise realizada em Wuhan, cidade do centro da China onde foram detetados os primeiros casos, a uma embalagem com carne congelada importada do Brasil deu positivo para o novo coronavírus.

As amostras faziam parte de um total de 27 toneladas de carne importada do Brasil que saíram do porto de Santos, no estado de São Paulo.

Estes dois casos recentes juntam-se a vários outros ocorridos nos últimos meses.

No início deste mês, as autoridades disseram ter detetado o novo coronavírus na embalagem de um lote de carne de porco congelada, na cidade de Yantai, província de Shandong.

A 13 de agosto, vestígios do novo coronavírus também foram encontrados na superfície de embalagens contendo asas de frango congeladas oriundas do país sul americano, na cidade de Shenzhen, junto a Hong Kong.

A China respondeu por 40% das exportações agrícolas brasileiras no primeiro semestre deste ano, um valor recorde de 20,5 mil milhões de dólares (17,3 mil milhões de euros), segundo dados do Ministério da Agricultura do Brasil.

A pandemia de Covid-19 provocou pelo menos 1.328.048 mortos resultantes de mais de 55 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 3.553 pessoas dos 230.124 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.