O governo regional dos Açores decretou esta terça-feira, ao final da tarde, que vai mesmo implementar uma cerca sanitária em Rabo de Peixe, devido ao crescimento dos casos de Covid-19 naquela freguesia da ilha de São Miguel. O comunicado do governo regional surge depois de outro que confirmava que as escolas iam encerrar a partir de quarta-feira.

“O governo dos Açores estabelece, em articulação com o senhor presidente da Câmara da Ribeira Grande e com o senhor presidente da junta de freguesia de Rabo de Peixe, uma cerca sanitária na freguesia de Rabo de Peixe, do concelho da Ribeira Grande”, anunciou o executivo açoriano em comunicado de imprensa. A cerca vai entrar em vigor à meia-noite de 3 de dezembro e vai prolongar-se até às 23h59 de dia 8.

Segundo o primeiro comunicado do governo regional, a decisão de fechar escolas surgia na sequência da aprovação, pelo Governo Regional dos Açores, reunido segunda-feira, de medidas de “proteção sanitária específicas para a freguesia de Rabo de Peixe que, de entre outras, determinam o encerramento de todos os estabelecimentos de ensino da referida freguesia a partir do próximo dia três”.

Por freguesias, em São Miguel, Rabo de Peixe, no concelho da Ribeira Grande, é a que regista mais casos de infeção com o vírus da covid-19 (61), tendo cerca de dez mil habitantes. Os Açores registaram mais 18 casos de infeção com o vírus da covid-19 nas últimas 24 horas, anunciaram esta terça-feira as autoridades.

O novo coordenador de saúde pública nos Açores disse que Rabo de Peixe é a única freguesia da região onde os casos de covid-19 “continuam a aumentar de forma continuada” e propôs testar todos os habitantes da vila. O objetivo da testagem das mais de oito mil pessoas é, declarou à agência Lusa Gustavo Tato Borges, “criar um tampão na transmissão da doença” na freguesia da ilha de São Miguel, pertencente ao concelho da Ribeira Grande.

“Rabo de Peixe neste momento é a única freguesia cujos casos continuam a aumentar de forma continuada”, acrescentou o responsável, que iniciou funções na semana passada na região no combate à pandemia. Reconhecendo que a população de Rabo de Peixe “tem as suas próprias características”, Tato Borges diz que o objetivo da testagem “não é apontar o dedo a ninguém, mas sim proteger a comunidade”.

O responsável acrescentou nessa altura ter proposto uma cerca sanitária à vila e adiantou que a estrutura de testagem deverá incluir dois postos de colheitas e incorporar testes rápidos de resultado conhecido em 15 minutos. O delegado de saúde, o presidente da câmara da Ribeira Grande e o presidente da junta de Rabo de Peixe são também importantes no processo para “sensibilizar as pessoas” neste “trabalho de cidadania”, acrescentou.

Segundo o comunicado da Autoridade Regional de Saúde, há oito novos em São Miguel e dez na ilha Terceira, na sequência de 1.463 análises realizadas na região. Foram registadas quatro recuperações e há na região 37 cadeias de transmissão ativas, sendo 26 em São Miguel, oito na Terceira, uma partilhada entre São Miguel e São Jorge, uma no Pico e outra em São Jorge.

Nos Açores, foram detetados até hoje 1.044 casos de infeção pelo novo coronavírus SARS-CoV-2, que provoca a doença covid-19, e registados 17 óbitos. Há 523 casos recuperados e mantêm-se 421 casos positivos ativos. Estão internadas 14 pessoas, seis no Hospital do Divino Espírito Santo de Ponta Delgada, sete no Hospital de Santo Espírito da Ilha Terceira e um no Hospital da Horta.

*artigo atualizado às 19h50 com a confirmação da cerca sanitária