As principais agências de segurança dos Estados Unidos da América apontaram esta terça-feira a Rússia como a responsável pelos ataques informáticos em larga escala contra vários departamentos da administração norte-americana, apontando para um objetivo de “espionagem”.

Segundo a agência AP, esta declaração, expressa em comunicado, representou a primeira tentativa formal do Governo norte-americano de atribuir responsabilidades à Rússia por estes ataques informáticos.

A nota, que é da responsabilidade do FBI (Federal Bureau of Investigation) e de outras agências de investigação, refere que os hackers pretendiam roubar informações, sublinhando que as evidências reunidas até agora demonstram que existe mais um esforço de espionagem russo do que uma tentativa de danificar as operações do Governo.

Anteriormente, as autoridades norte-americanas, nomeadamente o procurador-geral William Barr e o secretário de Estado Mike Pompeo tinham responsabilizado a Rússia por estes ataques. Contudo, há cerca de um mês o presidente demissionário dos EUA, Donald Trump, tinha sugerido que o ataque informático poderia ser responsabilidade da China.

Entretanto, a Embaixada da Rússia nos Estados Unidos já garantiu que “a Rússia não realiza operações ofensivas no ciberespaço”. Este ataque informático contra vários departamentos da administração norte-americana prolongou-se durante vários meses antes de ser descoberto pelo grupo de segurança informático — FireEye — que também foi alvo de intrusão, em dezembro.