Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Há quase dois anos, desde março de 2019, que o Benfica não conseguia sequer pontuar contra o FC Porto. Nos últimos quatro Clássicos contra os dragões, repartidos entre Primeira Liga, Taça de Portugal e Supertaça Cândido de Oliveira, os encarnados tinham perdido sempre. Um registo negativo que significava que, se a equipa de Sérgio Conceição voltasse a vencer esta sexta-feira no Dragão, tornava-se a primeira na história a ganhar cinco partidas consecutivas entre as duas equipas. Um feito que Jorge Jesus conseguiu evitar.

O que Jorge Jesus não conseguiu evitar foi o empate — depois de ter aberto o marcador na primeira parte, depois de ter ficado em superioridade numérica a 20 minutos do fim e depois de ter tido as melhores oportunidades do jogo. Algo que o treinador entendeu como demérito do Benfica e não mérito do adversário, garantindo que os encarnados “perderam dois pontos” no Dragão. “Depois de ter visto o primeiro jogo [Supertaça], apercebi-me de determinados movimentos que tentei corrigir hoje. Fizemos isso com uma sabedoria tática muito grande. Não apareceram Coronas, Maregas, nada. Apareceu uma equipa do Benfica a jogar com muita qualidade. A bola no poste começa no Ody [Vlachodimos], os jogadores do FC Porto não conseguiram fazer interceção e merecia sorte. É tão bem jogada que nem deu golo”, indicou o treinador na flash interview, onde ainda deu uma explicação detalhada sobre a forma como a equipa sofreu o golo marcado por Taremi.

Nuno Tavares e uma chance que começou na Amadora, culminou no Dragão e tem tudo a ver com a qualidade de Grimaldo

“A equipa não reagiu rápido. Estávamos todos à espera de um lançamento longo do Corona. A equipa não se posicionou corretamente, acabámos por sofrer golo numa situação fácil de controlar. O jogo está parado. Estamos a ser penalizados com alguns golos que sofremos e temos de ser mais concentrados, mais competitivos. A equipa foi competitiva, defensiva e ofensivamente. Mas quando o jogo pára, às vezes desliga. Ainda não consegui pô-la com os fusíveis todos ligados. É um jogo em que o Benfica demonstrou poder e qualidade, não fomos compensados com aquilo que fizemos. Para mim é um resultado negativo ter perdido dois pontos aqui”, atirou Jesus, garantindo em seguida que nem sequer sabia que o Sporting tinha empatado em Alvalade com o Rio Ave, ou seja, que uma vitória no Dragão significava ficar a apenas dois pontos da liderança.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Já na conferência de imprensa, o treinador encarnado voltou a sublinhar a ideia de que o Benfica foi superior. “Já ganhei no Dragão, já perdi, também tive tristezas na minha carreira aqui, mas nunca senti um jogo tão fácil para ganhar aqui como hoje. Ainda não conseguimos pôr a nossa qualidade toda no jogo e sinto alguma nostalgia porque, por tudo o que o Benfica fez, deveria ter ganho”, acrescentou, ressalvando também uma linha de argumentação que já tinha deixado patente na flash. “No futebol não podemos falar à frente, é dia a dia”, afirmou, deixando entender que não era possível antecipar que o FC Porto seria superior ao Benfica, que não era possível antecipar que o Sporting não iria ganhar e que não é ainda possível antecipar o que vai acontecer até ao final da temporada.