436kWh poupados com o Logótipo da MEO Energia Logótipo da MEO Energia
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica.
Saiba mais

Logótipo da MEO Energia

Adere à Fibra do MEO com a máxima velocidade desde 29.99/mês aqui.

“Abençoado” pela chuva, Ventura prometeu a segunda volta numa “eleição do bem contra o mal”

Este artigo tem mais de 1 ano

Em Leiria, embalado pela chuva e por um camião itinerante, Ventura prometeu atropelar os adversários e provocar uma segunda volta. "Não nos peçam para sermos mais fofinhos porque estamos fartos."

i

JOÃO PORFÍRIO/OBSERVADOR

JOÃO PORFÍRIO/OBSERVADOR

Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Dia chuvoso na campanha de André Ventura, mas nem por isso esvaziado de ambição e misticismo. O líder e candidato do Chega continua a acreditar que é possível forçar Marcelo Rebelo de Sousa a uma segunda volta e vai tentando mobilizar os apoiantes nos derradeiros dias de campanha eleitoral. Depois de um dia-não em Aveiro e Coimbra, Ventura passou por Leiria e voltou a falar aos céus.

O comício drive-in organizado por Luís Pereira Fernandes, presidente da Associação Portuguesa dos Itinerantes Certificados (APIC), líder do Chega/Leiria e dono de um senhor camião, prometia ser um acontecimento, mas acabou por ficar bem aquém das expectativas. Depois do que aconteceu em Leça da Palmeira, com 450 pessoas, a fasquia estava alta. Não ajudou o facto de Benfica e Braga jogarem esta noite, o que limitou em muito as opções disponíveis à campanha de Ventura, e o mini-dilúvio que se abateu sobre a cidade.

JOÃO PORFÍRIO/OBSERVADOR

Com o hino nacional a passar em loop durante duas horas — as mesmas duas horas de atraso de Ventura face ao estipulado na agenda oficial –, o líder do Chega tinha pela frente uma missão difícil. Quando chegou finalmente, às 16h26, ao som de “fascista” e “vai para a tua terra”, lançou-se aos 15 minutos de discurso da praxe contra os “que se habituaram a viver à sombra dos privilégios do sistema”.

“Esta é uma eleição do bem contra o mal. A chuva que cai hoje do céu é sinal que continuaremos abençoados. Nunca desistiremos. A nossa força é grande e as nossas causa são ainda maiores. A nossa terra é Portugal e é este país que eu amo. Só nós temos esse amor a Portugal. Não nos peçam para sermos mais fofinhos porque estamos fartos”. Estava marcado o ponto.

Pode ouvir aqui a reportagem da Rádio Observador:

Debaixo de chuva, Ventura tem comício “abençoado”

A confusão dos números

Do centro de Leiria a caravana de Ventura seguiu para o Mosteiro da Batalha. Depois de depositar uma coroa de flores junto ao Monumento ao Soldado Desconhecido, o candidato do Chega falou aos jornalistas para recuperar as acusações ao Bloco de espionagem e sugerir que o partido que apoia Marisa Matias esteve na origem das manifestações de terça-feira, em Coimbra. “Mas isso é notícia mais para o final da campanha”, deixou escapar.

O candidato do Chega aproveitou para tentar afinar o objetivo eleitoral a que se propõe. Na véspera, em Aveiro, tinha prometido chegar aos 22%. No mesmo dia, em Coimbra, uma fonte do núcleo duro de Ventura comentou com o Observador que o objetivo real estava algures entre os 15 e os 20%. Esta manhã, Diogo Pacheco de Amorim, vice-presidente do Chega e parte integrante da comitiva mais restrita, disse, em entrevista à Agência Lusa, que o Ventura chegaria facilmente aos 10%.  Aos jornalistas, Ventura despachou a questão nestes termos: “10% é bom se todos os outros adversários [tirando Marcelo Rebelo de Sousa] tiverem menos”.

Um resultado nessa ordem de grandeza não permitiria uma segunda volta. Mas nada que atrapalhe o candidato do Chega. No segundo comício em menos de uma hora, Ventura falou para os antigos combatentes, prometeu lutar “pela Europa de matriz cristã” e despediu-se com uma certeza: “Vou levar-vos no coração para uma segunda volta”. Faltam quatro dias para as eleições presidenciais.

Texto atualizado ao longo do dia

A página está a demorar muito tempo.

Ofereça este artigo a um amigo

Enquanto assinante, tem para partilhar este mês.

A enviar artigo...

Artigo oferecido com sucesso

Ainda tem para partilhar este mês.

O seu amigo vai receber, nos próximos minutos, um e-mail com uma ligação para ler este artigo gratuitamente.

Ofereça artigos por mês ao ser assinante do Observador

Partilhe os seus artigos preferidos com os seus amigos.
Quem recebe só precisa de iniciar a sessão na conta Observador e poderá ler o artigo, mesmo que não seja assinante.

Este artigo foi-lhe oferecido pelo nosso assinante . Assine o Observador hoje, e tenha acesso ilimitado a todo o nosso conteúdo. Veja aqui as suas opções.

Atingiu o limite de artigos que pode oferecer

Já ofereceu artigos este mês.
A partir de 1 de poderá oferecer mais artigos aos seus amigos.

Aconteceu um erro

Por favor tente mais tarde.