Centenas de sismos nos últimos dias têm sido registados na zona da Andaluzia, com a maioria deles a serem sentidos perto da cidade de Granada. A magnitude destes tem oscilado entre 1,6 e 4,3 na escala de Richter. Esta sequência de sismos levou a presidente da Junta da Andaluzia, Juanma Moreno, a decretar o estado de pré-emergência na região, revela o diário espanhol Sur.

Com o epicentro nas localidades de Santa Fé, Atarfe e Cúllar Vega, mais de dez terremotos foram sentido na noite de terça-feira, um deles com a magnitude de 4,3. O Instituto Nacional de Geografia espanhol realçou que mais de 170 abalos secundários foram sentidos no país após esse primeiro abalo.

Alguns movimentos sísmicos também foram registados em Córdoba, Málaga e Jaén, mas sem grande perigo para as populações locais.

Esta zona do sul de Espanha é particularmente propensa a sismos dado que está assente em três placas tectónicas: a africana, a euroasiática e a norte-americana. Enquanto as duas últimas se estão a afastar, criando grande atividade sísmica nos Açores, a africana cria movimentação na zona sul da Península Ibérica.

A placa africana está a rachar o país e mais uma dúzia de dúvidas sobre sismos

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A zona espanhola que está a afetada por esta atividade sismica já tinha sido tido, em finais de 2018, uma fase com vários registos. Especialistas afirmam que apesar de haver muitos acontecimentos na área, estes nunca vão chegar à intensidade sentida noutros locais como Chile, México ou Japão.