Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Pedro Passos Coelho decidiu não marcar presença na sessão de discussão que estava agendada para 25 de março, integrada na série “Repensar Portugal”, da escola de gestão INSEAD. O evento tinha carácter privado e o antigo primeiro-ministro não gostou de ler especulações infundadas sobre o seu regresso à política ativa.

A notícia sobre a participação de Pedro Passos Coelho neste evento foi avançada esta manhã pelo semanário “Expresso”, que acrescentava que o objetivo era conhecer a visão do ex-primeiro-ministro sobre os “problemas e desafios que Portugal enfrenta na atual conjuntura”.

Ora, o antigo líder social-democrata tinha sido convidado para um evento de carácter privado e restrito e, como tal, não gostou de ler interpretações abusivas sobre a sua participação naquele fórum digital.

Ao contrário do que vai sendo avançado com alguma insistência, o regresso à atividade política não está no horizonte imediato de Pedro Passos Coelho e o ex-primeiro-ministro não quer sequer dar qualquer sinal contraditório nesse sentido. Como tal, o convite ficou sem efeito e a sessão foi cancelada.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR