Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

O antigo treinador olímpicos do EUA, John Geddbert, suicidou-se nesta quinta-feira após ter sido acusado formalmente pela alegada prática de 24 crimes de tráfico humano e assédio sexual, avançaram as autoridades norte-americanas, citadas pela imprensa norte-americana.

John Geddert, o técnico que levava as ginastas ao limite e trabalhava há décadas com Nassar, também está sob investigação

Dana Nassel, procuradora-geral do Estado do Michigan, nos EUA, afirma que o corpo do ex-treinador foi encontrado na quinta-feira. “Este é um final trágico para uma história trágica para todos os envolvidos”, afirmou Nassel, citada pelo Washington Post, por exemplo. Os advogados de Geddebert não prestaram declarações sobre a morte.

A acusação do ex-treinador estava relacionada com a condenação, em 2018, de Larry Nassar , o ex-médico da seleção de ginástica dos EUA que foi condenado a 40 a 125 anos de prisão por ter abusado sexualmente de três atletas. Mais de 260 mulheres e raparigas afirmaram ter sido vítimas de Larry Nassar sob o pretexto de tratamento médico.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Em janeiro de 2018, Geddbert foi suspenso da seleção de ginástica dos EUA: terá utilizado a sua influência para prometer a pais que tornaria as suas filhas em atletas de alta competição. Contudo, de acordo com a alegação, Geddbert terá facilitado que Nassar prosseguisse com os seus atos e criado um ambiente de abusos contínuos a múltiplas jovens atletas da equipa de ginástica olímpica norte-americana.

Linha SOS Voz Amiga reforça voluntários para assinalar Dia de Prevenção do Suicídio