Só 6% da população adulta da União Europeia (UE) foi totalmente vacinada contra a Covid-19 até esta segunda-feira, enquanto 14,2% dos adultos europeus já receberam a primeira dose do fármaco, revelam dados consultados esta terça-feira pela Lusa.

Os dados constam da ferramenta ‘online’ criada pelo Centro Europeu de Prevenção e Controlo das Doenças (ECDC) para rastrear a vacinação no espaço comunitário, que revela que, até dia 05 de abril de 2021, apenas 6% dos cidadãos com mais de 18 anos da UE tinham sido totalmente imunizados contra a Covid-19, enquanto outros 14,2% receberam a primeira dose da vacina.

Tendo por base dados transmitidos pelos países àquela agência europeia sobre as campanhas nacionais de vacinação (normalmente duas vezes por semana), os dados do ECDC consultados pela Lusa indicam também que foram distribuídas cerca de 93 milhões de doses para a UE, das quais pelo menos 74 milhões já foram administradas.

Por país, Portugal segue a tendência europeia e tem 6,4% da população adulta totalmente vacinada (com a segunda dose) e 15,2% com a primeira dose recebida.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Também datados de segunda-feira, os dados relativos a Portugal e comunicados ao ECDC pelo país demonstram que foram já administradas 1,85 milhões de doses de vacinas de um total de 2,03 milhões que chegaram.

A grande parte das doses chegadas a Portugal são da vacina da Pfizer/BioNTech (1,4 milhões), seguidas pelas da AstraZeneca (473 mil) e da Moderna (142 mil).

No que toca à população idosa em Portugal, um dos grupos prioritários, 40,6% já está totalmente imunizada, acima da média da UE (de 29,7%).

Relativamente ao conjunto dos adultos da UE, entre os Estados-membros mais avançados na vacinação estão Malta (12,1% da população já está totalmente vacinada) e Hungria (9,8% da população já recebeu a segunda dose da vacina).

Por seu lado, Letónia, Bulgária e Croácia estão entre os mais atrasados na administração da segunda dose, com percentagens de, respetivamente, 1,4%, 1,7% e 2,6%.

Há cerca de duas semanas, a Comissão Europeia divulgou que, até então, tinham sido administradas perto de 62 milhões de doses de vacinas em relação às 88 milhões distribuídas na UE, o equivalente a 4,1% da população adulta comunitária totalmente imunizada.

Bruxelas atribuiu estes níveis baixos de inoculações aos problemas de entrega das vacinas da Vaxzevria (o novo nome do fármaco da AstraZeneca) para a UE, exigindo que a farmacêutica recupere os atrasos na distribuição e honre o contratualizado.

A meta de Bruxelas é que, até final do verão, 70% da população adulta esteja vacinada.

Atualmente, estão aprovadas quatro vacinas na UE: Pfizer/BioNTech (Comirnaty), Moderna, Vaxzevria e Janssen (grupo Johnson & Johnson, que estará em distribuição em meados deste mês de abril).

Até ao final do primeiro trimestre, de acordo com Bruxelas, terão chegado à UE perto de 107 milhões de doses de vacinas, a grande parte da Pfizer/BioNTech (66 milhões, mais do que os 65 milhões inicialmente acordadas), da Vaxzevria (30 milhões de um total de 120 milhões inicialmente acordadas) e da Moderna (10 milhões).

Para o segundo trimestre, a expectativa do executivo comunitário é que cheguem 360 milhões de doses à UE, principalmente da Pfizer/BioNTech (200 milhões), da Vaxzevria (70 milhões de um total de 180 milhões inicialmente acordadas), da Janssen (55 milhões) e da Moderna (35 milhões).