Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

task force responsável pela vacinação contra a Covid-19 em Portugal alterou as regras de distribuição de vacinas de forma a tornar mais difícil para as pessoas acima dos 60 anos saber com antecedência qual será a vacina que vão receber: AstraZeneca, Pfizer ou Moderna. A notícia é avançada pelo jornal Público.

Segundo explicou o coordenador da task force, o vice-almirante Henrique Gouveia e Melo, todas as semanas as três vacinas passam a “rodar de região em região”. O objetivo primordial é, no entanto, prevenir que, se por acaso, as vacinas “tiverem diferentes respostas às novas variantes, não haja nenhuma zona que não tenha proteção seletiva, porque pode haver uma variante que reage pior à vacina A ou B”.

O objetivo é garantir que a população, no seu conjunto, tenha uma resiliência maior porque há uma diversidade de vacinas nas várias regiões”, disse ao Público.

O coordenador adiantou que esta rodagem vai, no entanto, também fazer com que os profissionais no terreno só saibam a ordem da distribuição com dois dias de antecedência. O Público adianta que há pessoas que sabendo antecipadamente as datas em que as vacinas da AstraZeneca estão a ser dadas em determinada região alegam que não conseguem ir no dia que foi marcado. Assim, são contactados noutra altura e recebem uma das duas outras vacinas disponíveis.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR