Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

A justiça argentina acusou sete profissionais de saúde pela morte de Diego Maradona que incorrem numa pena de oito a 25 anos de prisão por  “homicídio simples com dolo eventual”.

A morte de Maradona virou mesmo um caso: contradições, uma discussão e buscas ao médico por suspeitas de homicídio por negligência

De acorodo com a agência EFE, os acusados foram notificados para prestarem declarações e estão proibidos de deixar o país.

Além do neurocirurgião Leopoldo Luque e da psiquiatra Agustina Cosachov, os outros acusados são os enfermeiros Ricardo Omar Almirón e Dahiana Gisela Madrid, o coordenador dos enfermeiros, Mariano Perroni, a médica que coordenava a equipa que cuidou do futebolista, Nancy Forlini e o psicólogo Carlos Ángel Díaz.

Um génio será sempre eterno ou não fosse ele El Pibe: morreu Diego Armando Maradona, o Diós que fez nascer uma religião