Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

O grupo Cofina, que inclui meios como o Correio da Manhã, CMTV, Record, Sábado ou Jornal de Negócios, vai deixar de ter uma direção geral editorial que coordena transversalmente todas as publicações do grupo. Octávio Ribeiro, que liderava essa direção geral editorial, deixa o grupo para se dedicar a “projetos pessoais fora do setor dos media“. A informação foi confirmada pela Cofina, em comunicado.

Com a reestruturação e a saída de Octávio Ribeiro, há também mudanças na liderança editorial do Correio da Manhã e da CMTV, que passam para Carlos Rodrigues, que era diretor executivo das duas publicações e que antes disso passou pela RTP, TVI e pela Direção de Informação (como subdiretor) da SIC. As direções das restantes publicações do grupo Cofina não sofrerão alterações: o comunicado indica que “os restantes títulos” continuarão “entregues às direções atualmente em funções”.

O comunicado do grupo lembra que “desde 2017, a Cofina Media concentrou a direção editorial de todos os seus títulos — Correio da Manhã, CMTV, Jornal de Negócios, Sábado, Record, Flash, TV Guia, Máxima e Aquela Máquina — numa direção geral liderada por Octávio Ribeiro, tendo como Diretores-Gerais Adjuntos Armando Esteves Pereira e Alfredo Leite”. Esta direção editorial transversal a todas as publicações será “extinta”.

Tendo em conta o contexto que os Media atravessam, a Cofina passará a contar com responsáveis editoriais por marcas, televisão e Correio da Manhã por um lado, e os restantes títulos por outro. No entender da empresa, esta reorganização otimiza o seu segmento de televisão, tendo agregado o principal título do grupo, e por outro reforça a identidade própria dos restantes segmentos de media, sem contudo deixar de obter as sinergias de grupo”, lê-se no comunicado.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Octávio Ribeiro entrou na Cofina há quase duas décadas, em 2002. No comunicado divulgado pelo grupo, a Cofina Media agradece ao seu antigo diretor-geral editorial “todo o empenho, dedicação, profissionalismo e lealdade” e refere que Octávio Ribeiro foi “um fator indispensável para o sucesso, crescimento e resiliência” da Cofina, do CM e da CMTV.

O CEO do grupo, Paulo Fernandes, vinca mesmo que Octávio Ribeiro “tem sido ao longo dos anos um profissional que sempre fez a diferença, com ousadia, empenho e focado no desenvolvimento de um grupo de media independente, com um posicionamento sempre claro em favor do leitor e do espetador, a quem estaremos sempre agradecidos”. E o até aqui diretor-geral editorial do grupo é também citado, referindo:

A Cofina foi para mim, desde o início, uma casa de liberdade e de responsabilidade. Durante todos estes anos fui consolidando a ideia de que é o melhor local para se ser jornalista em Portugal, sem condicionalismos, sem receios, com ousadia e vontade de a cada dia contribuir para um Portugal melhor. Considero, ao fim destes anos, ter dado o melhor que consegui. Mas a vida é feita de etapas, e saio com o sentimento de que as equipas da Cofina continuarão empenhadas, diariamente, a cumprir cada vez melhor a sua missão.”

Octávio Ribeiro, diretor editorial da Cofina: “Lamento que os nossos concorrentes se tenham cmtvizado”