O terceiro dia dos Jogos Olímpicos foi, de certa maneira, de extremos para a participação nacional. Enquanto a campeã Telma Monteiro acabou por cair cedo na competição de -57kg no judo, a equipa de andebol tornou-se histórica ao vencer ao Bahrain.

Portugal também esteve em ação na natação, na vela e no ténis de mesa. Recorde aqui a participação nacional nesta segunda-feira.

Era a grande esperança, mas Telma Monteiro é uma campeã de nível estratosférico, pelo que é algo injusto criticá-la. A judoca portuguesa perdeu com a polaca Julia Kowalczyk e ficou fora dos Jogos Olímpicos ao fim de duas rondas. Num combate muito longo, que durou mais de oito minutos, Telma Monteiro acabou por não conseguir dar a volta ao cansaço e cometeu três erros desnecessários, perdendo o combate por desqualificação e na sequência de três penalizações (duas por falso ataque, uma por sair do tatami). Telma falha assim a segunda medalha olímpica, depois do bronze nos Jogos do Rio de Janeiro, naquela que poderá ter sido a sua última participação olímpica.

O ponto não foi de ouro e Telma perdeu. Agora quer descansar, no futuro tem uma certeza: “Não quero ser de alta competição mais ou menos”

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A grande vitória do dia veio do andebol, onde a seleção portuguesa, num jogo sofrido em que nunca se deu, nem cedeu, venceu a congénere do Bahrain por 26-25. Foi a primeira vitória de sempre em Jogos Olímpicos (depois da derrota no arranque frente ao Egito). O grande destaque vai para o guarda-redes Gustavo Capdeville, que chegou às 13 defesas (percentagem de 43%).

O jogador da seleção nacional, Pedro Portela, remata contra o Bahrein, no jogo da fase de grupo de andebol, no estádio Yoyogi em Tóquio, 26 de julho de 2021. TIAGO PETINGA/LUSA

No ténis de mesa, sortes diferentes para os dois representantes nacionais no torneio de singulares masculinos. Marcos Freitas apurou-se para os oitavos de final ao vencer o austríaco Daniel Habesohn, por 4-3. Tiago Apolónia não conseguiu o mesmo destino que o colega de seleção e acabou por perder com o indiano Kamal Achanta, por 4-2. A mesatenista portuguesa Fu Yu venceu tranquilamente a também indiana Sutirtha Mukherjee, por claros 4-0, seguindo em frente para a terceira ronda da competição de singulares femininos.

Já a velejadora portuguesa Carolina João chegou esta segunda-feira ao 36.º posto, após quatro regatas em Laser Radial. A jovem de 24 anos, natural da Amadora, terminou a terceira regata da categoria na 28.ª posição e a quarta no 30.º posto, permitindo excluir o segundo resultado de domingo (34.º lugar).

Na competição feminina de surf, Teresa Bonvalot foi hoje eliminada na terceira ronda, ao perder frente à brasileira Silvana Lima, terminando a competição no nono lugar. A surfista natural de Cascais, de 21 anos, somou 7,5 pontos (4,33 e 3,17), no sexto heat da eliminatória, na praia de Tsurigasaki, em Chiba, contra os 12,17 (56,67 e 5,5) da brasileira, vice-campeã do mundo em 2008 e 2009, de 36 anos. Por seu lado, Yolanda Sequeira, qualificou-se para os quartos de final, ao vencer a francesa Johanne Defay, atual segunda classificada do circuito mundial. Na próxima ronda, a jovem algarvia, de 23 anos, que já assegurou, pelo menos, um diploma olímpico, vai disputar a primeira bateria, diante da sul-africana Bianca Buitendag, na terça-feira, a partir das 09:24 locais (01:24 em Lisboa), na praia de Tsurigasaki, em Chiba.

A portuguesa Yolanda Sequeira em ação na primeira ronda do surf olímpico de Tóquio2020, na praia de Tsurigasaki, em Chiba, a cerca de 100 quilómetros de Tóquio, Japão, 25 de julho de 2021.  Yolanda Sequeira foi hoje relegada para a repescagem na prova de surf feminino dos Jogos Olímpicos Tóquio202JOSÉ COELHO/LUSA

Para finalizar, destaque para as nadadoras portuguesas Tamila Holub e Diana Durães, que falharam a qualificação para a final da prova dos 1500 metros livres, ao terminarem as eliminatórias em 22.º e 23.º lugar, respetivamente. Tamila Holub, que tinha sido 24.º classificada nos 800 metros livres no Rio 2016, foi a melhor representante portuguesa, concluindo a série no quinto lugar, seguida de Diana Durães, estreante em Jogos Olímpicos, que chegou logo de seguida.

Com Lusa