783kWh poupados com a
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica.
Saiba mais

Boletim DGS. Sábado com menos casos em 3 meses. Internamentos caem 1/3 desde o início do mês

Este artigo tem mais de 2 anos

Foram registadas mais 7 mortes e houve 939 novos casos. A redução de infeções, internados e doentes graves em cuidados intensivos é acentuada face ao sábado anterior.

Portugal Impacted By Coronavirus
i

O número de casos de infeção está a baixar, apesar de haver já poucas restrições

Corbis via Getty Images

O número de casos de infeção está a baixar, apesar de haver já poucas restrições

Corbis via Getty Images

Não havia tão poucos casos registados a um sábado desde 13 de junho (quando a DGS identificou 707 infeções), já lá vão três meses. Os 939 novos casos registados no boletim referente ao último dia são menos 284 do que no mesmo dia da semana passada (11 de setembro), ou seja, uma descida de 23,2%. Mas a diferença ainda é mais acentuada se a comparação for feita com o registo de há 15 dias, quando tinham sido identificados 1.713 casos a 4 de setembro.

O Norte teve 325 desses casos, ou seja, 34,6% do total. Lisboa e Vale do Tejo não ficou muito longe, com 321 casos (34,2%). Seguem-se Centro (143 casos), Alentejo (70), Algarve (56), Madeira (13) e Açores (11).

Como o somatório de casos confirmados (939) e de mortes (7) não se aproxima das recuperações do último dia (1.606), este sábado foram contabilizados menos 674 casos ativos, para um total de 33.952.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Neste momento, há cerca de um milhão de recuperados (1.009.517) desde que a pandemia chegou a Portugal, em março do ano passado.

Os dados do boletim da DGS deste sábado dão conta de menos 17 internamentos com Covid-19, para um total de 457. E nos cuidados intensivos há menos 7 doentes graves, num total de 90 camas ocupadas.

Relativamente aos internamentos totais (o que também inclui cuidados intensivos), as 457 camas ocupadas representam o valor mais baixo desde 26 de junho (na altura 447).

Face à semana anterior (552 internados a 11 de setembro), é uma queda de 17,2%. E na comparação com o início do mês a redução é substancialmente maior, de 32,9% (face aos 681 internamentos de 1 de setembro).

Já os números de doentes graves em cuidados intensivos conheceram uma redução de 25,6% face ao mesmo dia da semana passada e de 31,33% na comparação face ao início do mês (131 no dia 1 de setembro)

As sete mortes registados no boletim deste sábado elevam para 49 o número de vítimas dos últimos sete dias. Ou seja, menos 19 (-28%) do que no período imediatamente anterior (68 entre 5 e 11 de setembro).

Entre essas vítimas, houve um homem na casa dos 50 anos. Há ainda dois homens na casa dos 60, um homem e uma mulher entre os 70 e os 79 anos e um homem e uma mulher com mais de 80 anos. Por região, é o Centro que mais óbitos apresenta (3) neste boletim, seguido de Lisboa e Vale do Tejo (2), Norte e Alentejo (ambas com uma morte).

Assine o Observador a partir de 0,18€/ dia

Não é só para chegar ao fim deste artigo:

  • Leitura sem limites, em qualquer dispositivo
  • Menos publicidade
  • Desconto na Academia Observador
  • Desconto na revista best-of
  • Newsletter exclusiva
  • Conversas com jornalistas exclusivas
  • Oferta de artigos
  • Participação nos comentários

Apoie agora o jornalismo independente

Ver planos

Oferta limitada

Apoio ao cliente | Já é assinante? Faça logout e inicie sessão na conta com a qual tem uma assinatura

Ofereça este artigo a um amigo

Enquanto assinante, tem para partilhar este mês.

A enviar artigo...

Artigo oferecido com sucesso

Ainda tem para partilhar este mês.

O seu amigo vai receber, nos próximos minutos, um e-mail com uma ligação para ler este artigo gratuitamente.

Ofereça artigos por mês ao ser assinante do Observador

Partilhe os seus artigos preferidos com os seus amigos.
Quem recebe só precisa de iniciar a sessão na conta Observador e poderá ler o artigo, mesmo que não seja assinante.

Este artigo foi-lhe oferecido pelo nosso assinante . Assine o Observador hoje, e tenha acesso ilimitado a todo o nosso conteúdo. Veja aqui as suas opções.

Atingiu o limite de artigos que pode oferecer

Já ofereceu artigos este mês.
A partir de 1 de poderá oferecer mais artigos aos seus amigos.

Aconteceu um erro

Por favor tente mais tarde.

Atenção

Para ler este artigo grátis, registe-se gratuitamente no Observador com o mesmo email com o qual recebeu esta oferta.

Caso já tenha uma conta, faça login aqui.

Vivemos tempos interessantes e importantes

Se 1% dos nossos leitores assinasse o Observador, conseguiríamos aumentar ainda mais o nosso investimento no escrutínio dos poderes públicos e na capacidade de explicarmos todas as crises – as nacionais e as internacionais. Hoje como nunca é essencial apoiar o jornalismo independente para estar bem informado. Torne-se assinante a partir de 0,18€/ dia.

Ver planos