Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Os restos mortais descobertos no Parque Nacional Grand Teton, no estado do Wyoming, pertencem a Gabby Petito, a jovem de 22 anos que desapareceu depois de uma viagem pelos Estados Unidos iniciada em junho com o noivo — apenas Brian Laundrie regressou e a família da jovem notificou o desaparecimento a 11 de setembro. Agora, a autópsia confirma aquilo que o FBI já suspeitava.

Além da identificação formal dos restos mortais, o FBI partilhou no Twitter a informação de que o médico legista do condado de Teton, Brent Blue, considerou a morte um homicídio nas suas descobertas preliminares. Ainda assim, a causa da morte está pendente “dos resultados finais da autópsia”.

O noivo da jovem, Brian Laundrie, de 23 anos, é considerado uma pessoa de interesse pelas autoridades. “Qualquer pessoa com informações sobre o papel do Sr. Laundrie neste assunto ou sobre o seu paradeiro atual deve entrar em contacto com o FBI”, lê-se na nota entretanto divulgada nas redes sociais.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A história que está a chocar os EUA: Gabrielle Petito desapareceu e o noivo, que se recusou a falar, também

Como já antes escreveu o Observador, antes de se dirigirem ao Parque Nacional Grand Teton, a 12 de agosto, Brian Laundrie foi visto a agredir Gabby Petito e a polícia chamada ao local, mas nenhum deles quis apresentar queixa. As mensagens escritas de Gabby para a mãe mostravam uma tensão crescente entre os noivos.

Desaparecimento de Gabby Petito. FBI fez buscas em casa do noivo

Esta segunda-feira, o FBI conduziu buscas à casa de Laundrie que continua desaparecido, embora os pais tenham sido interrogados e a casa passada a pente fino ao longo de oito horas. Os pais de Laundrie dizem que este foi fazer uma caminhada na Reserva de Carlton, perto de North Port. A polícia local, no entanto, deu as buscas por concluídas na reserva sem conseguirem encontrar o jovem.