Um homem de 62 anos suspeito de ter disparado esta terça-feira de manhã contra militares da GNR foi abatido a tiro no Pinhal Novo, após uma operação policial que durou três horas, informou o Comando Territorial de Setúbal da GNR.

Em comunicado, a GNR refere que o suspeito, que vivia sozinho, ao detetar a presença da Guarda efetuou disparos de caçadeira contra os militares, embora sem provocar danos ou feridos, e que se pôs em fuga na posse da arma para uma zona rural no Pinhal Novo, concelho de Palmela, no distrito de Setúbal.

A GNR montou de imediato um perímetro de segurança e mobilizou um forte dispositivo policial com dezenas de militares, incluindo elementos da Unidade de Intervenção, nomeadamente o Grupo de Intervenção e Operações Especiais (GIOE), o Grupo de Intervenção e Ordem Pública (GIOP) e o Grupo de Intervenção Cinotécnico (GIC), que realizaram uma operação de batida em busca do suspeito.

De acordo com a GNR, o suspeito, que se encontrava escondido no terreno, foi localizado cerca das 14h30, por militares que o advertiram para que largasse a arma de fogo.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

“Após a advertência clara e inequívoca para largar a arma, [o homem] não acatou a ordem, mantendo-se assim como uma ameaça iminente para a vida dos militares”, refere a GNR, adiantando que “foi necessário os militares recorrerem à utilização de arma de fogo, em legítima defesa, tendo atingido o suspeito de forma a neutralizar a ameaça”.

O comunicado da GNR refere ainda que o suspeito foi assistido de imediato por elementos da Equipa de Resposta à Crise do INEM, que se encontravam a apoiar a ação da GNR e pelos Bombeiros Voluntários do Pinhal Novo, mas que não resistiu aos ferimentos e acabou por morrer no local.