A Web Summit é “a maior da Europa”, mas há outras conferências tão grandes ou maiores /premium

03 Novembro 2018

A Web Summit é "a maior conferência de empreendedorismo, tecnologia e inovação da Europa”, mesmo com concorrentes diretos. Quando o ângulo são eventos tecnológicos também aparece ao lado dos grandes.

A Web Summit costuma aparecer descrita como “a maior conferência de empreendedorismo, tecnologia e inovação da Europa”, mas será mesmo? Comparámos a conferência lançada por Paddy Cosgrave em 2011, em Dublin, com outros seis eventos internacionais de tecnologia (e os da própria Web Summit) e concluímos que não existe mais nenhum com igual génese — mas há parecidos. Também juntam personalidades, acontecem em grandes cidades que investem na tecnologia e querem incentivar o espírito empreendedor de startups.

Atualmente, em todo o mundo, são incontáveis os eventos virados para o empreendedorismo e tecnologia. A própria organização da Web Summit gere outros eventos que concorrem consigo mesma, como o Collision, que se realiza em Toronto, no Canadá, ou o Rise, que se realiza em Hong Kong, na China. Para todos os efeitos, a Web Summit pode ser a “maior conferência de empreendedorismo, tecnologia e inovação da Europa”, mas basta ir para outros continentes e já se encontra outras versões da própria organização.

Web Summit

Para quem é direcionado? Empresas, startups e pessoas relacionadas com o mundo da Internet e tecnologia. Inicialmente estava mais focado em pequenas empresas e startups, atualmente com as conferências de políticos e personalidades dos novos media, abrange um público maior.

Onde se realiza? Lisboa.

Quando? Início de novembro.

Quantos visitantes recebe? Cerca 68 mil

Quem tem como oradores? Desde presidentes e executivos de grandes empresas da indústria tecnológica, como Brad Smith, da Microsofot, passando por políticos como Al Gore, até personalidades como a modelo Sara Sampaio, pela influência que tem nos novos media de comunicação.

Depois de termos analisado os principais eventos que concorrem com a Web Summit em todo o mundo, percebemos que cada vez mais as startups procuram conferências focadas no mercado em que estão a apostar e não aquelas nas quais têm pouco relevo face aos grande oradores. Nestes eventos maiores, o truque é estar nos pequenos momentos que ocorrem à volta desses (leia-se, as ‘Night Summits’). Há ainda outros eventos que, como a Web Summit, evoluíram de conferências sobre startups para um palco no qual se falada forma como a tecnologia e o empreendedorismo impactam a sociedade. O número de pessoas presentes ajuda, mas o evento com mais visitantes não é automaticamente o evento com mais relevo no mundo nem das startups nem do empreendedorismo, nem da tecnologia e da inovação. Deixamos aqui as principais “conferências de empreendedorismo, tecnologia e inovação”, além da Web Summit.

TechCrunch Disrupt, o evento de empreendedorismo e tecnologia feito por jornalistas

Mike Butcher, editor executivo do TechCrunch, em São Francisco, no evento que recebe cerca de 10 mil empreendedores e investidores

Para quem é direcionado? Desde o ano em que começou, 2011, este evento destina-se a startups com tecnologias inovadoras e disruptivas e a investidores. Há também um concurso, o TechCrunch Battlefield, no qual os empreendedores apresentam as ideias que desenvolveram. O objetivo é receber investimento. O evento é promovido pelo TechCrunch, um dos principais órgãos de comunicação social direcionado à indústria tecnológica. Atualmente, mesmo com números relativamente baixos de visitantes, é considerado um dos mais relevantes eventos para startups do mundo.

Onde se realiza? Em São Francisco e Berlim. Já foi realizado também em Londres e Nova Iorque e Beijing. Há eventos à parte, os “Battlefield” que se realizam noutras cidades, apenas focados em concursos de startups.

Quando? Em São Francisco, no início de setembro. Em Berlim, no final de novembro.

Quantos visitantes recebe? Cerca de 10 mil em São Francisco este ano e teve cerca de 2600, em Berlim, em 2017.

Quem tem como oradores? À semelhança da Web Summit, recebe também vários oradores, mas o evento é mais focado em presidentes executivos de tecnológicas. Cerca de 74% dos visitantes do evento principal, em São Francisco, fazem parte de empresas como executivos. No passado já falaram nas conferências empresários como Dara Khosrowshahi, presidente executivo da Uber, ou Mark Zuckerberg, presidente executivo e fundador do Facebook.

CES (Consumer Eletronic Show), “o maior evento de tecnologia do mundo”

Gary Shapiro, presidente da CTA responsável pela organização da CES. No passado, na inauguração do evento, Bill Gates era um dos principais oradores

Para quem é direcionado? Desde que começou em 1967 que o objetivo da CES foi ser uma feira para apresentar novos produtos tecnológicos. Ou seja, é focado nas empresas e investidores de produtos eletrónicos. Desde os anos de 1960 cresceu, e mudou. Agora, está direcionado para toda a indústria tecnológica, com empresas e startups de todo o mundo a quererem marcar presença no evento.

Onde se realiza? Em Las Vegas, mas tem eventos que precedem o evento principal, os Unveiled, mais focados em mostrar e em apresentar novidades que antecipam o evento principal. Estes Unveiled realizam-se em Paris, Amesterdão, Shangai e Nova Iorque .

Quando? No início do ano, em Las Vegas.

Quantos visitantes recebe? Cerca de 180 mil no evento principal.

Quem tem como oradores? A CES, mesmo sendo um evento mais direcionado para o lançamento e apresentação de produtos, tem vários oradores e — tal como a Web Summit — também é conhecida por ser um bom evento para networking (fazer contactos). No passado, Bill Gates, fundador e antigo presidente executivo da Microsoft, chegou a utilizar a conferência para apresentar as novidades da empresa. Gary Shapiro, lobbysta da indústria tecnológica e responsável pela organização do evento, também modera painéis de discussão com vários executivos de empresas tecnológicas. Os principais executivos destas empresas costumam apresentar novos produtos em pequenas conferências que organizam no evento.

Mobile World Congress, “o maior evento de tecnologia mobile do mundo”

O rei Filipe VI de Espanha na inauguração do Mobile World Congress

Para quem é direcionado? O Mobile World Congress (MWC) já não é apenas um evento virado para o mercado de smartphones, apesar de este continuar a ser o produto principal. Atualmente, o MWC é o maior evento de tecnologia móvel do mundo. É direcionado para empresas, startups e investidores que invistam nestes mercados. À parte do MWC, mas ligados ao evento, há outros diretamente direcionadados para startups, como o 4 Years from Now.

Onde se realiza? Barcelona.

Quando? Final de fevereiro.

Quantos visitantes recebe? Cerca de 100 mil pessoas.

Quem tem como oradores? Os presidentes executivos de empresas com grande relevo na indústria tecnológica mobile, como a Samsung ou a Huawei, costumam marcar presença e apresentar novos produtos. Num outro palco do MWC, políticos e executivos ligados à indústria discutem vários tópicos. Em 2018, Ajit Pai, responsável pela reguladora de comunicações dos Estados Unidos da América, Ricardo Nevares, governador de Porto Rico, ou Marie Ehling, a presidente da Securitas, foram alguns dos oradores.

IFA, “a maior feira de eletrónica de consumo do mundo”

Richard Yu, presidente Executivo da Huawei, apresentou em 2018 a primeira coluna inteligente da empresa na IFA

Para quem é direcionado? A IFA é o maior evento de eletrónica de consumo do mundo. Ao contrário de eventos como a CES ou a Web Summit, é uma montra que não se direciona apenas a empresas e investidores da indústria tecnológica, mas também a retalhistas, que querem conhecer os produtos que podem vender nas suas lojas. Devido ao sucesso desta feira, a IFA criou o IFA Next, uma das secções do evento apenas focada em startups e no futuro da tecnologia.

Onde se realiza? Berlim.

Quando? Início de setembro.

Quantos visitantes recebe? Cerca de 240 mil.

Quem tem como oradores? A IFA tem como principal foco a apresentação de produtos. Mesmo tendo presentes alguns dos principais nomes da indústria tecnológica, as conferências que promove são apenas uma pequena parte da feira. Este ano, no palco principal, falou I.P. Park, presidente da LG, Richard Yu, presidente executivo da Huawei, Nick Parker, vice-presidente para consumo e produtos da Microsoft e Daniel Rausch, vice-presidente na Amazon. Os temas foram o impacto da inteligência artifical nas novas tecnologias. Garry Kasparov, o famoso campeão de xadrez e embaixador da Avast, que vai estar na Web Summit, esteve também na IFA este ano a falar de cibersegurança e inteligência artificial.

South By Southwest (SXSW), “a conferência de tecnologia, entretenimento, música e cinema”

Bill Murray, Bob Balaban, Kunichi Nomura, Janet Pierson, Wes Anderson, Jeremy Dawson e Jeff Goldblum na estreia de a Ilha dos Cães no SXSW

Para quem é direcionado? Segundo a organização, para “pessoas criativas”. O evento tem um foco bastante polifacetado neste conceito, sendo referido como um conjunto de conferências e festivais de cinema, música e tecnologia. Os participantes vão desde executivos de empresas a pessoas que estão a fundar empresas, como personalidades e pessoas ligadas à indústria da música e do cinema.

Onde se realiza? Austin, Texas.

Quando? Na Primavera, em março.

Quantos visitantes recebe? Os últimos dados públicos são de 2017, que referem cerca de 167 mil participantes para os festivais de música, cerca de 70 mil para o festival de cinema e também 70 mil para as conferências de tecnologia de entretenimento.

Quem tem como oradores? Sendo um evento focado em mais que uma área, com direito a concertos, tem conferências em que se fala de tópicos desde criptomoedas e blockchain a desporto e música. Personalidades como Melinda Gates, filantropista e co-presidente da Bill and Melinda Gates Foundation, Michael Dell, fundador e presidente executivo da Dell, ou Jonathan Nolan, um dos criadores da série Westworld, são alguns do oradores que passam pelos cerca de 10 dias do evento.

Slush, o concorrente direto da Web Summit na Europa

Al Gore também falou em novembro de 2017 no Slush. Esta é uma das imagens da conferência em que falou

Para quem é direcionado? Startups e investidores. O foco é muito semelhante ao da Web Summit, sendo várias vezes comparada com o evento em Lisboa. A Web Summit atrai mais pessoas, mas o prémio para as startups que tentam ganhar o concurso de melhor Pitch costuma ser maior no Slush, apesar de, na Web Summit, também ser oferecida a hipótese de colaborar com investidores como a Coca-Cola ou a Mercedez.

Onde se realiza? O principal decorre em Helsínquia, mas já há edições em Tóquio, Xangai e Singapura.

Quando? Início de dezembro.

Quantos visitantes recebe? A última edição teve cerca de 20 mil participantes.

Quem tem como oradores? Desta lista, o Slush é o concorrente mais direto da Web Summit. Apenas no ano passado, teve nomes como Al Gore, que também esteve em Lisboa, Martin Lau, presidente da Tencent, ou Daniel Elk, co-fundador do Spotify.

Collison, Rise e os outros eventos especializados

Paddy Cosgrave, o organizador da Web Summit, no Collision, um evento da mesma organização, feito em Toronto

Há também outras “conferências de empreendedorismo, tecnologia e inovação” pelo mundo. Como já referimos, a própria Web Summit tem o Collision, em Toronto, e o Rise, em Hong Kong, com oradores muito semelhantes e com enfoque no empreendedorismo de cada continente. Há também inúmeros eventos mais pequenos, que, apesar de não atraírem tantos oradores e visitantes, promovem networking e possibilidade de investimento para as empresas que querem estar presentes.

Estes eventos, que também têm conferências com oradores de renome em várias indústrias, como o SaasStock ou a E3 (Eletronics Entertainment Expo), podem ser mais obrigatórios para algumas startups e empresas por se focarem diretamente no ângulo do negócio tecnológico em que tentam inovar (nos casos referidos, software para serviços ou videojogos).

Depois de vermos os principais eventos com conferências sobre empreendedorismo e tecnologia, mesmo nos principais meios internacionais, nos últimos dois anos, a Web Summit tem sido sempre referida. O que comprova que a crescer — como prometido pelo Governo português — pode passar a ser ‘a maior conferência de empreendedorismo, tecnologia e inovação do mundo’.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: mmachado@observador.pt
PGR

Estão a gastar a nossa herança!

Gonçalo Pistacchini Moita
269

Muitos de nós julgam saber o que levou António Costa a propor a substituição da Procuradora Geral da República. Poucos saberão, de facto, o que levou Marcelo Rebelo de Sousa a aceitá-la. 

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)