Várias publicações circulam no Facebook com uma suposta cura milagrosa para o novo coronavírus: a cocaína. De acordo com a informação que tem vindo a ser disseminada, esta droga mata o vírus, que já infetou mais de 43 mil pessoas e provocou mais de mil mortes. Contudo, o conteúdo é falso e não tem qualquer base científica.

Existem publicações em português, inglês, francês e espanhol. Para a difusão da informação falsa, os autores adulteraram um alegado frame de um noticiário, utilizando oráculos semelhantes aos da Sky News. Na imagem pode ler-se: “Cocaine kills coronavirus” (“A cocaína mata o coronavírus“, em português). Em alguns casos, a imagem surge acompanhada de frases como: “Os cientistas estão chocados ao descobrir que esta droga pode combater o vírus”.

Uma das várias publicações partilhadas no Facebook

Tal como já foi anteriormente verificado pela plataforma Boatos e pelo UOL, a informação não tem qualquer base científica. Ao pesquisar sobre este tema, os únicos conteúdos que se encontram são artigos feitos em diferentes países a desmentir as publicações.

Contactado pelo Observador, Rui Nogueira, presidente da Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar (APMGF), diz que “é um disparate tão grande, tão ridículo, que ninguém devia acreditar nele”. É, na sua opinião, “misturar coisas que não têm nada a ver uma com a outra”.

“Ainda temos muito para saber sobre este novo coronavírus. Os vírus mudam. São entidades diferentes que as pessoas têm dificuldades em entender. Mas dizer que a cocaína mata o coronavírus é um disparate puro”, sublinha Rui Nogueira. Por outro lado, prossegue, “a cocaína não representa uma cura para nada”.

O que se sabe, refere o presidente da APMGF, “é que a cocaína faz muito mal à saúde e mais tarde ou mais cedo acaba por ser bastante prejudicial para a saúde dos utilizadores”. Por isso, “não nos podemos iludir que seja boa para coisa nenhuma”.

Neste momento, ainda não existe um tratamento específico para o novo coronavírus (Covid-19). “Todos os anos são produzidas, a nível mundial, várias centenas de milhões de diferentes tipos de vacinas contra a gripe com os padrões de eficácia e segurança exigidos pelas autoridades regulamentares. Para o novo coronavírus serão necessários muitos meses ou anos até haver vacinas e fármacos com eficácia e segurança validada e em quantidade para suprir as necessidades à escala global”, explicou nesta quarta-feira Filipe Froes, coordenador do gabinete de crise da Ordem do Médicos e membro da task force da Direção-Geral da Saúde para a infeção pelo novo vírus.

Por agora, o tratamento para a infeção por este novo coronavírus é apenas dirigido aos sintomas que os doentes apresentam, como acontece com as gripes, por exemplo.

Estas publicações fazem parte de um conjunto alargado de fake news que começaram a circular nas redes sociais desde o início do surto. Há notícias falsas sobre a origem da pandemia, as causas dos mortos, as curas para a infeção provocada pelo vírus, entre outras. Uma onda de desinformação que levou a Organização Mundial de Saúde a criar uma página para combater fake news.

Conclusão

O novo coronavírus (Covid-19), que já infetou mais de 43 mil pessoas em 25 países, não pode ser curado com cocaína. Até ao momento, ainda não existe um tratamento para a infeção provocada pelo vírus, mas existem vários fármacos para combater os sintomas associados à mesma.

Assim, de acordo com a classificação do Observador, este conteúdo é:

Errado

De acordo com o sistema de classificação do Facebook este conteúdo é:

FALSO: as principais alegações do conteúdo são factualmente imprecisas. Geralmente, esta opção corresponde às classificações “falso” ou “maioritariamente falso” nos sites de verificadores de factos.

Nota 1: este conteúdo foi selecionado pelo Observador no âmbito de uma parceria de fact-checking com o Facebook.

Nota 2: O Observador faz parte da Aliança CoronaVirusFacts / DatosCoronaVirus, um grupo que junta mais de 100 fact-checkers que combatem a desinformação relacionada com a pandemia da COVID-19. Leia mais sobre esta aliança aqui.

IFCN Badge