Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Nasceu em 1902, publicada pelos jesuítas do Colégio de S. Fiel, como revista de Botânica e Ciências Naturais, para funcionar como manual de aprendizagem. Embora tenha começado como revista de sala de aula, para ajudar os alunos a compreenderem melhor aquilo que estavam a estudar, evoluiu de tal forma que se tornou uma marca de referência intelectual, científica, humanista e ética. Agora, passados 118 anos, a Brotéria deixa de ser apenas uma revista para se converter num centro cultural.

Digo ‘apenas uma revista’, mas digo mal porque há muito tempo que a Brotéria passou a Associação Cultural e Científica, com uma rica biblioteca constituída por cerca de 150.000 monografias e 980 publicações particularmente valiosas nas áreas da Teologia, da Filosofia, da História, da Cultura e das Humanidades.

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.