Logo Observador
Media

David Dinis vai ser o novo diretor do Público

326

O jornalista foi diretor executivo do Observador e era diretor da TSF desde março deste ano. Vai substituir Bárbara Reis que já tinha anunciado a saída da direção até novembro.

David Dinis foi o escolhido para suceder a Bárbara Reis na direção do Público. A notícia foi confirmada pelo conselho de administração do jornal, através de um comunicado.

O conselho de administração deposita a sua total confiança no David Dinis, com a plena convicção de que, juntos, e com a colaboração de todos, continuaremos a fazer do Público um jornal de referência.”

A notícia foi avançada pelo jornal Expresso durante a tarde e confirmada, horas depois, pela administração da publicação que pertence ao grupo Sonae. A atual diretora estava de saída — o que foi anunciado no final do mês passado — depois de sete anos à frente do diário. Nessa altura, num comunicado interno, a administração deu conta que a substituição aconteceria até ao mês de novembro.

David Dinis era diretor da TSF há quase quatro meses. Até aí era diretor executivo do Observador, desde a fundação do jornal (em maio de 2014). O jornalista passou também pelo semanário Sol, onde foi editor de política, pelo Jornal de Notícias, o Diário de Notícias e, antes disso, pelo Diário Económico.

Em comunicado, a administração do grupo Global Media, ao qual pertence a TSF, disse que David Dinis “solicitou por sua exclusiva iniciativa a respetiva substituição como responsável editorial desta marca de informação”. A sua substituição “irá desenrolar-se nos seus trâmites normais, previstos nos procedimentos da empresa, e deverá acontecer até 31 de julho próximo”, data em cessará funções.

O funcionamento normal da TSF continuará a ser assegurado pela atual Direção Editorial até que se proceda à nova nomeação, a qual será comunicada oportunamente.”

A TSF é o segundo órgão do grupo Global Media a ficar sem diretor. Há duas semanas, André Macedo demitiu-se da direção do Diário de Notícias, não tendo ainda sido anunciado o substituto.

Este texto foi atualizado às 20h04, com o comunicado da administração do grupo Global Media.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Eutanásia

O que defendemos no debate sobre a eutanásia

Isabel Galriça Neto

Na Holanda em 2015 praticou-se uma eutanásia a cada hora e meia. De pessoas com doença mental, pessoas que não pediram para morrer, pessoas sem situações de terminalidade, pessoas cansadas de viver.

Comunicação Social

Liberdade de imprensa e ciclos eleitorais

Luís Aguiar-Conraria

Há imenso trabalho científico sobre a correlação fortíssima entre a saúde da democracia e a liberdade de imprensa. E com uma imprensa mais livre a capacidade de manipulação das contas públicas diminui