Lisboa

Câmara Municipal de Lisboa ainda não corrigiu erro no banco de jardim do Cais do Sodré

186

A Câmara Municipal de Lisboa afirmou que ia corrigir o erro na citação de Fernando Pessoa, gravada num dos novos bancos do Cais do Sodré. Passado um mês, a citação permanece igual.

Em vez de “Busca o oceano por achar” foi gravado, por lapso, “Busca o oceano pos achar;”

D.R.

Quase um mês depois de Câmara Municipal de Lisboa ter admitido que ia corrigir o erro na citação de Fernando Pessoa, gravada num dos novos bancos de madeira do Largo do Corpo Santo, no Cais do Sodré, tudo permanece na mesma.

No banco em causa, instalado junto ao restaurante Solar do Kadete, foi gravado um verso de Pessoa retirado do poema “D. Dinis”, de Mensagem. Só que, em vez de “Busca o oceano por achar”, alguém gravou por lapso “Busca o oceano pos achar;”. O erro foi rapidamente detetado por alguns lisboetas mais atentos e uma queixa remetida para a Câmara.

Contactada pelo Observador na altura, a autarquia afirmou que o lapso seria corrigido. Só que, passado um mês, o banco está exatamente na mesma.

No Cais do Sodré, foram colocados vários bancos de madeira com citações de poetas portugueses (D.R.)

O Observador voltou a contactar a Câmara Municipal de Lisboa no sentido de tentar perceber quando é que o erro seria emendado. Até ao momento da publicação deste artigo, não foi possível obter uma resposta da parte da autarquia.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: rcipriano@observador.pt

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site