Logo Observador
Holanda

O rei holandês andou a pilotar aviões comerciais durante 21 anos e ninguém sabia

721

O rei holandês Willem-Alexander confessou ao jornal De Telegraaf que foi copiloto de voos comerciais nos últimos 21 anos, sempre sem o conhecimento dos passageiros.

O monarca copilotou voos comerciais da KLM Cityhopper pelo menos duas vezes por mês

NATASCHA LIBERT/KLM ROYAL DUTCH AIRLINES/FACEBOOK

O rei holandês Willem-Alexander confessou ter copilotado voos comerciais da KLM Cityhopper pelo menos duas vezes por mês nos últimos 21 anos. O monarca, que esteve aos comandos dos aviões sempre em segredo, tirou licença de piloto há mais de trinta anos e foi piloto voluntário em África antes de subir ao trono.

“É a coisa mais importante para mim. É um hobby para o qual preciso de me concentrar completamente”, confessou o rei em entrevista a um jornal holandês. A intenção, disse o monarca, foi sempre de descomprimir dos deveres reais. A atividade secreta de Willem-Alexander foi já confirmada pela KLM – Royal Dutch Airlines, a empresa-mãe da KLM Cityhopper, na página oficial do Facebook.

“Temos uma aeronave, passageiros e tripulação e somos responsáveis por eles. Não podemos deixar os problemas em terra e fugir para o céu, mas podemos desligar completamente e concentrarmo-nos noutra coisa. Para mim, voar é relaxante”, disse o rei.

Willem-Alexander admite nunca ter sido reconhecido pelos passageiros. A segurança apertou nas transportadoras aéreas desde os atendados do 11 de setembro, daí que o acesso (ou visibilidade) para dentro do cockpit da parte dos passageiros seja mais reduzida. O rei holandês não especifica como ou quando entra nos voos que copilota para não ser visto nem reconhecido.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt