GNR

Criança morre na Guarda. Mãe pode ter sido responsável

Uma criança morreu na localidade de Sortelhão, Guarda. Fonte da Polícia Judiciária adianta ao JN que criança pode ter sido morta pela mãe.

António Cotrim/LUSA

Autores
  • Agência Lusa

Uma criança morreu esta terça-feira na localidade de Sortelhão, Guarda. Inicialmente, fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) da Guarda disse à Lusa que a morte poderia ter sido provocada por inalação de monóxido de carbono, mas corrigiu mais tarde, dizendo que morte “foi alegadamente provocada por comprimidos”. A criança também teria cerca de 9 anos e não 12, como tinha sido avançado pela mesma fonte.

O CDOS da Guarda adiantou que o alerta foi dado cerca das 16:39. Pelas 18:00 estavam no local as equipas de socorro (oito homens e quatro viaturas dos Bombeiros Voluntários da Guarda) e as autoridades policiais que foram chamadas para investigar a ocorrência.

De acordo com o “Jornal de Notícias”, a “hipótese mais provável” para a morte da criança terá sido homicídio, perpetrado pela mãe, que “tentou suicidar-se a seguir”, também com medicamentos, de acordo com informação avançada por fonte da PJ. O JN confirma ainda que a mãe foi assistida no serviço de urgências do Hospital da Guarda.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site