Bebidas, slide, uma roda gigante e brindes, muitos brindes. Com a grande maioria dos festivaleiros presente no Rock in Rio Lisboa para ver Robbie Williams e Ivete Sangalo, que atuam às 22h e 24h, respetivamente, quisemos saber o que motiva as pessoas a virem tão cedo para o Parque da Bela Vista, e se tiveram tempo (ou vontade) de ir votar nas eleições europeias.

Domingo, quatro da tarde. As portas do festival abrem-se pela primeira vez para cinco dias de música, mas não só. “Estamos aqui para ver todas as ‘capelinhas’ “, dizem Joana Estrangeiro e Joana Cardoso. Estão no Rock in Rio para ver Robbie Williams e Ivete Sangalo, mas sabem que há muita diversão dentro do recinto para aproveitar. Perguntamos se foram votar e ambas deram uma resposta positiva. Até ao momento, tínhamos 0% de abstenção e a coisa prometia.

O Casal Marco e Célia também chegou cedo. Vêm acompanhar a filha, de 17 anos, e querem ver como é o ambiente do festival durante o dia, antes de irem espreitar o cabeça de cartaz Robbie Williams. “Não fomos votar. A motivação era pouca e depois, com a logística do evento, não houve tempo”, explica Marco. De nenhuma abstenção, rapidamente passamos para 50%.

“Eu nem vou perguntar quem é que foi votar… Quem é que foi votar?”, pergunta Silk, do Palco Vodafone, onde atuava com os seus Cais Sodré Funk Connection, pelas 18h00. Por alto, contamos entre 20 a 30% de braços levantados entre o público. E a abstenção subia mais uma vez.

Sofia tinha acabado de responder a um inquérito “sobre os patrocinadores” quando nos aproximamos para lhe fazer as nossas perguntas. Natural de São João da Madeira, veio ao Rock in Rio para ver o ambiente – “brindes é que não” – e para assistir a todas as bandas do Palco Mundo, excepto Ivete Sangalo. “Não fui votar. Nem me lembrava que era dia de eleições, e como já vinha ao festival…”. Em cinco inquiridos, tínhamos 3 abstenções, ou seja, 60%. Não andava longe dos 63% de pessoas que não votaram nas últimas eleições europeias, em 2009.

Lado a lado, Francisco e Andreia dão-nos respostas diferentes. Se Andreia acena positivamente, Francisco, que mora em Lisboa, desculpa-se com a distância. “Sou do Fundão, por causa do festival não dava jeito”. Informamos que, desde 2010, é possível votar antecipadamente. “Ah, não sabia!”. A verdade é que muito poucos sabem. E já íamos com 57% de abstenção.

Cláudia Marques saiu de Braga de manhã para poder ver o Robbie Williams ao vivo. É a sua estreia no festival e veio cedo a conselho dos amigos, que lhe disseram que havia várias atividades para aproveitar. Entre slide e saltos de seis, oito e dez metros para um colchão insuflável, vai “aproveitar ao máximo”. Só não aproveitou para votar. “Saí de Braga às 11h00”. As urnas abriram às 08h00. Mais um não na nossa sondagem.

De caipirinhas na mão, Francisco e Carina vieram cedo do Porto para “evitar o trânsito” e para “apanhar um sol”. Como é a primeira vez que pisam o Parque da Bela Vista, “tem de se aproveitar tudo”. Excepto votar. “Não fui votar, mas se fosse votava em branco”, diz Francisco. “Acabamos por não ir por causa da logística da viagem”, completa Carina. Também vinda do Porto, e também para ver Robbie Williams e Ivete Sangalo, Paula Lima desculpa-se com o festival para não ter ido votar.

No total das 11 pessoas a quem perguntámos, três colocaram o boletim na urna, este domingo, contra os oito que não foram. Na nossa pequena sondagem, não à boca das urnas, mas dos palcos do Rock in Rio, contabilizamos 72,7% de abstenção. Não muito longe dos 66% que as projeções antecipavam para as eleições europeias em Portugal. O número real foi de 66,2%.