O deputado do PS, João Galamba, acusou esta sexta-feira o governador do Banco de Portugal, Carlos Costa, de “reproduzir o discurso do Governo” e de, assim, atacar a democracia.

Após o discurso inicial do governador do Banco de Portugal durante a audição na comissão parlamentar de Orçamento e Finanças, João Galamba iniciou as questões dos deputados fazendo uma listagem do mandato do Banco de Portugal para logo a seguir atacar a apresentação de Carlos Costa.

“Fica mal a um governador do Banco de Portugal, e sobretudo a um governador que exerceu funções na banca privada”, ir ao Parlamento “reproduzir o discurso do Governo”, que, disse Galamba, “na história económica está associado a uma crítica à democracia”.

O deputado considera que Carlos Costa defendeu que foram decisões irresponsáveis e levianas dos governos que conduziram à atual crise, afirmando que foram, “isso sim, decisões irresponsáveis e levianas do setor privado” que a provocaram. “Isso é um ataque à democracia e não lhe fica bem dizer isso”, acusou.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Carlos Costa respondeu ao deputado garantindo que o discurso do Banco de Portugal não se altera, independentemente de no momento poder coincidir com o discurso seja de quem for e que “não vale a pena tentar colar a quem quer que seja” o banco central.

“A análise que eu faço e fiz, é uma análise baseada em factos e não tem qualquer conteúdo tipo de julgamento”, garantiu, afirmando que o seu discurso “foi no sentido de defender a democracia”.