A atriz francesa Marion Cotillard entra esta quinta-feira nas salas de cinema portuguesas com “A Emigrante”, um filme realizado por James Gray e que nos mostra o lado negro da emigração para os Estados Unidos nos anos 20 do século passado.

1921. Ewa Cybulski (Marion Cotillard) e sua irmã saem de uma Polónia devastada pela I Guerra Mundial rumo a Nova Iorque em busca do “sonho americano”. As duas são apenas uma pequena amostra dos milhares de europeus que atravessaram o Atlântico nos anos 20. Mas nem sempre a emigração é sinónimo de uma vida melhor.

São as provações de uma mulher estrangeira sozinha, há 100 anos, que James Gray nos mostra tão bem em “A Emigrante”. Marion Cotillard é dona de uma interpretação ao nível do que já nos tem habituado, e que já lhe valeu um Óscar em 2008 por “La Vie en Rose”. Curiosamente, a atriz francesa também é uma emigrante em “terras de Tio Sam” desde 2003, embora seja impossível comparar as duas situações (como poderá ver no filme).

Para contracenar com Marion Cotillard, James Gray chamou Joaquin Phoenix, com quem já trabalhou em filmes como “Duplo Amor” e “Nós Controlamos a Noite”.

[jwplatform B9IcvgXg]