Os rebeldes do movimento islâmico nigeriano Boko Haram, que ficaram conhecidos em todo o mundo pelo sequestro de mais de 200 mulheres e crianças em abril deste ano, raptaram a mulher do vice-primeiro ministro dos Camarões, Amadou Ali.

Durante o ataque feito pelo grupo à casa de Ali na cidade camaronense de Kolofata, morreram pelo menos três pessoas, escreve a Al Jazeera. O líder religioso local Seini Boukar Lamine também foi raptado.

Segundo o Guardian, o vice-primeiro ministro Amadou Ali foi levado para uma cidade próxima por pela sua segurança pessoal.

Nas últimas semanas, tem havido confrontos entre os rebeldes e o exército camaronense. O Governo do país já enviou mais de mil soldados para a fronteira com a Nigéria.

Em maio, o grupo raptou 10 trabalhadores chineses no norte dos Camarões.