O presidente russo Vladimir Putin reuniu-se esta terça-feira com o homólogo ucraniano Petro Porochenko, em Minsk, capital da Bielorrússia, chegando a um pequeno consenso sobre os próximos passos a seguir nas negociações. Embora declare que não poderá intervir num acordo de cessar-fogo entre Kiev, Donetsk e Luhansk, Putin mostra-se disponível para ajudar a criar um clima de segurança durante o processo de negociação.

Para Petro Porochenko a prioridade é acabar com os grupos de militares armados que ameaçam a liberdade dos cidadãos ucranianos. “Será criado um roteiro a fim de alcançar, o mais rapidamente possível, um regime de cessar-fogo, que deve ser absolutamente bilateral”, disse o presidente ucraniano, acrescentando que as três partes terão de ser envolvidas no processo – Ucrânia, Rússia e separatistas pró-russos.

O encontro contou com a presença dos líderes da Bielorússia e Casaquistão e com a presença de Catherine Ashton, alta representante da Comissão Europeia para a política externa. Catherine Ashton classificou o encontro de “positivo”, mas o presidente da Bielorrússia, Alexander Lukashenko, lamenta que os dois países não tenham chegado ainda a um acordo sobre medidas concretas e ações práticas para a resolução dos conflitos.