Em matérias de turismo, a Lonely Planet sabe o que faz e o que aconselha. No início de setembro, a publicação dava a conhecer os “melhores” locais no mundo para apreciar os tons outonais. Agora que as temperaturas altas ameaçam folgar, pelo menos até ao próximo verão, revelamos a lista elaborada, numa viagem por continentes e paisagens que partilham tonalidades semelhantes. Contam-se dez “escalas”, desde terras nipónicas a chinesas, passando pela Europa, e até à longínqua Austrália.

1. Nara, Japão
Foi a primeira capital permanente do Japão. Apesar de pequena (é possível visitá-la num único dia), Nara alberga oito patrimónios da Humanidade, assim classificados pela UNESCO. Está a uma curta distância de Quioto — a menos de uma hora de comboio.

2. Agawa Canyon, Canadá
É possível visitar o destino durante todo o ano, mas é no outono que ganha outro encanto. A janela de abertura é curta, até porque o pico de beleza acontece entre finais de setembro e inícios de outubro. O melhor meio de transporte é mesmo o comboio, que parte diariamente da cidade de Sault Ste. Marie, junto à fronteira entre os Estados Unidos e o Canadá. Durante a viagem, e os seus quase 200 quilómetros, estão prometidos cenários de pura natureza.

3. Floresta de Dean, Inglaterra
Foi, em tempos, um cenário de caça real — permanece até hoje uma das maiores florestas da coroa inglesa. As árvores que ali se encontram chegaram, inclusive, a ser usadas no fabrico de barcos de guerra. A floresta, no  condado de Gloucestershire, consegue ser facilmente percorrida a pé ou de bicicleta.

4. Montanhas Brancas, Estados Unidos da América
A cordilheira abrange cerca de um quarto do estado de New Hampshire e é a faixa de montanhas mais alta no nordeste dos Estados Unidos, diz a publicação Fodors. É bastante popular à conta dos desportos de inverno e tem muitas atrações para conhecer, incluindo cascatas, vistas panorâmicas e pontes históricas.

https://twitter.com/IgorAlesenko/status/300548129806249984

5. Vale do Loire, França
Diz o TripAdvisor que o Loire foi, em tempos, disputado por gauleses, romanos e visigodos. Já a Travel & Leisure explica que os reis de França trocaram Paris pelo vale na altura do renascimento. Para isso poderá ter contribuído os muitos castelos da região e as vinhas férteis (sem esquecer o famoso queijo de cabra). Por aqui, o visitante dá ainda de caras com o Museu de Júlio Verne, além de monumentos declarados de património da humanidade pela UNESCO, como a Catedral de Chartres.

6. Montanha Huangshan, China
Também conhecida por “montanha amarela”, é indiscutivelmente o melhor local na China para desfrutar das paisagens outonais, diz a Lonely Planet. Os seus picos vertiginosos cobertos de árvores, cujas copas ficam tingidas por um encarnado reluzente na estação em causa, são o motivo de atração de multidões de turistas provenientes de Pequim e Xangai.

7. Dandenong Ranges, Austrália
Além da praia, das ondas e seus surfistas, a Austrália tem muito mais para ver. Apesar de o outono chegar apenas em março, o destino, perto da cidade de Melbourne, é ideal para conhecer a outra faceta do país. Não bastasse ser um parque nacional, a área é dotada de bonitos jardins; exemplo disso é o Alfred Nicholas Memorial Gardens.

https://twitter.com/EarthPixHD/status/504238166803750912

8. Bishop Creek Canyon, Califórnia
Na costa oeste dos Estados Unidos também é possível encontrar beleza. E as florestas no interior da Califórnia merecem igual destaque. Bishop Creek Canyon, situado na cordilheira Sierra Nevada, é um dos melhores locais para alcançar vistas panorâmicas.

https://twitter.com/purewhitemoly/status/505069999049150464

9. Pitlochry, Escócia
Situada no coração da Escócia, tem sido uma atração turística nos últimos 150 anos (entre os visitantes conta-se a presença da já falecida rainha Vitória do Reino Unido). Além disso, é no mês de outubro que a localidade recebe o evento noturno Enchanted Forest (Floresta Encantada, tradução livre), no qual as árvores ganham vida e luz.

10. Lombardia, Itália
É uma das maiores regiões de Itália, localizada no norte do país (faz fronteira com a Suíça) e, diz a Lonely Planet, uma ótima localização para assistir a uma explosão de cores outonais em versão europeia.