A antiga ministra das Finanças, Manuela Ferreira Leite, duvidou hoje da aplicação da fiscalidade verde a um país com baixa competitividade como Portugal.

“Tenho dúvidas se um país com a nossa competitividade vai mesmo aplicar a fiscalidade verde. Por algum motivo, os outros países não a aplicam”, disse a ex-governante, num encontro em Lisboa sobre o Orçamento do Estado para o próximo ano.

Manuela Ferreira Leite defendeu que o objetivo de uma reforma fiscal verde é mudar os comportamentos das pessoas e que “não se pode achar que isto é para fazer à pancada”, referindo-se aos impostos cobrados aos contribuintes.

Defendendo que Portugal vai ter de “ressentir” os efeitos da fiscalidade verde em relação a outros países que não apliquem esses impostos, a ex-ministra criticou ainda o objetivo do Governo de conseguir aumentar a receita com esta fiscalidade.

Manuela Ferreira Leite destacou ainda o “claro objetivo” do Orçamento do Estado para 2015 de reduzir o défice público e usar a receita para resolver esse problema”.

“Não é o caminho certo porque não é possível resolver os problemas sem grande ênfase no crescimento económico”, disse, lembrando no entanto que o problema do crescimento económico se verifica em toda a Europa.