Nos primeiros três anos depois de lhe ter sido diagnosticada a doença – esclerose lateral amiotrófica -, Bernardo Pinto Coelho não conseguia aceitá-la. Estava irritado, como contou ao Observador. Adorava praticar desporto, mas as limitações físicas que a doença lhe impunha cada vez mais iriam obrigá-lo a parar mais tarde ou mais cedo. Ir viver com o pai mudou-lhe a vida completamente.

Neste momento pode dizer que é mais feliz, está mais grato por aquilo que tem e valoriza mais a vida. Sabe que, caso se tivesse entregado à doença, em pouco tempo estaria preso a uma cadeira de rodas ou poderia nem cá estar para contar esta história – a maior parte dos doentes não vive mais do que três a cinco anos depois do diagnóstico. Mas neste momento o próprio médico fala em melhorias nos padrões avaliados em relação à doença.

O pai, médico, estudou a fundo a doença e ajudou-o alterar o estilo de vida. Com o vídeo publicado no Youtube, Bernardo quer ajudar outras pessoas a lutar contra a doença e deixa cinco conselhos:

1. O poder da mente – para Bernardo a mente comanda o corpo. Se a mente não ajudar, mesmo que se faça tudo o resto bem e pode não se recuperar.

2. A alimentação – adotou uma dieta do paleolítico deixando de fora açúcares, laticínios e cereais. Foi-lhe muito doloroso, mas considera que valeu a pena.

3. O exercício – pratica quatro horas de exercício por dia: nada, faz exercícios de musculação e cardiovasculares, treina elasticidade e faz estimulação muscular com elétrodos. Nas primeiras semanas sentia-se muito cansado, mas agora consegue andar melhor.

4. Os suplementos alimentares – estes dependem das necessidades de cada pessoa e o melhor é consultar um médico.

5. A terapia sintónica – foi a melhor maneira de aceitar a doença e aprender a viver com ela. Bernardo diz que agora até se tornou demasiado tolerante, que nada o irrita.