Os jihadistas do grupo Estado Islâmico (EI) executaram nos últimos dois dias mais de 200 elementos de uma tribo na província iraquiana de al-Anbar, no oeste do país.

As vítimas, “entre as quais mulheres e crianças”, são “todas da tribo Albunimer”, que se opõe ao grupo Estado Islâmico, afirmou o vice-presidente do conselho da província de al-Anbar, Faleh al-Essaoui, que fala de 258 mortos.

Já o coronel da polícia da mesma província, Shaaban al-Obaidi, fala de mais de 200 mortos, mas sem precisar o número exato, segundo a agência France Presse.

Nos últimos dias foram divulgadas nas redes sociais imagens de algumas destas execuções, nas quais podiam ver-se mais de 30 homens alinhados no meio de uma estrada cobertos de sangue, mas a sua autenticidade não foi ainda confirmada.

O Estado Islâmico, um grupo terrorista responsável por violações, raptos e execuções no Iraque e na Síria, ainda não reivindicou estas execuções. O Grupo controla 85% da província de al-Anbar.