O PCP quer ouvir o que é que o vice-primeiro ministro, Paulo Portas, tem a dizer sobre a investigação policial que culminou em onze detidos, entre eles o diretor do SEF, por suspeitas de corrupção na atribuição de vistos Gold. António Filipe lembrou esta quinta-feira que o PCP esteve sempre contra esta medida por criar “imigrantes de luxo” e ser propícia à ocorrência de crimes de corrupção e de branqueamento de capitais.

O PCP mostra-se “preocupado” pelo facto de entre os detidos estarem “altos cargos públicos, como diretores gerais e uma secretário geral da Justiça”.

“Este fenómeno da corrupção existe ao mais alto nível da administração pública”, diz António Filipe.

O deputado lembrou que o Governo sempre fez “alarido mediático” com a iniciativa dos vistos mas que, na realidade, grande parte “dos 1600 vistos são investimentos imobiliários e a criação de postos de emprego é irrisória e residual”.E pede que Paulo Portas seja ouvido na comissão parlamentar de Economia.

“Sempre dissemos que os vistos Gold eram propícios a fenómenos de corrupção e de branqueamento de capitais. As investigações em curso estão a deitar por terra um das bandeiras deste Governo”, disse António Filipe.