O Departamento de Justiça dos Estados Unidos estará a usar aviões equipados com dispositivos eletrónicos que se assemelham aos das torres de telecomunicações para copiar os dados dos telemóveis, como informação pessoal e dados guardados, de milhões de pessoas nos EUA, avança o jornal económico norte-americano The Wall Street Journal.

O programa estará a ser operado pelos U.S. Marshals desde 2007 pelo menos e utiliza aviões Cessna, que partem de cinco aeroportos de grandes áreas metropolitanas, e cujos voos cobrirão grande parte do território dos EUA

O objetivo do programa será encontrar suspeitos de atividades criminosas mas o resultado estará a ser uma recolha de dados, sem autorização, de milhões de cidadãos nas cidades norte-americanas.

Estes aviões estarão equipados com dispositivos que replicam as funções das torres de telecomunicações, “enganando” os telemóveis, que acabam por partilhar a sua informação. Em apenas um voo, estes dispositivos terão capacidade para recolher informação de dezenas de milhares de telefones, de acordo com as fontes citadas pelo jornal norte-americano.

As mesmas fontes garantem, apesar de não adiantarem a frequência e duração desses voos, que eles acontecem numa base regular.

O Departamento de Justiça norte-americano não confirma, nem desmente a existência do programa noticiada pelo The Wall Street Journal, mas adianta que a discussão deste tipo de matérias permitira aos suspeitos de atividade criminosas e às potências estrangeiras determinar as capacidades dos programas de vigilância dos EUA. Fonte oficial adianta ainda que as agências que supervisiona cumpre a lei, incluindo ao pedir autorização dos tribunais.

O programa tem semelhanças aos programas da National Security Agency (NSA), que permitiram às autoridades norte-americanas aceder aos registos telefónico de milhões de telefones nos EUA quando o objetivo seria encontrar uma única pessoa ou um pequeno grupo. Na altura, o Governo americano defendeu o programa dizendo que se tratava de um método pouco invasivo para encontrar terroristas.